O Santander Totta contava no final do primeiro semestre com menos 167 trabalhadores e 25 balcões relativamente ao mesmo período de 2019, segundo os resultados semestrais divulgados esta quarta-feira pelo banco.

De acordo com o comunicado (lucro de 172,9 milhões de euros até junho, menos 37% face a período homólogo), o Santander Totta contava, no final de junho, com 6.163 trabalhadores, menos 167 do que no mesmo mês de 2019. Quanto a agências, eram 491 em junho, menos 25 do que há um ano.

Já face a dezembro passado, o banco reduziu desde então o número de trabalhadores em 25 e o número de agências em 14.

No contexto da crise desencadeada pela Covid-19 e face à vontade manifestada de reduzirem custos, é provável que os bancos venham a promover mais saídas de trabalhadores nos próximos meses e em 2021.

Na terça-feira, na apresentação de resultados do BCP, o presidente executivo, Miguel Maya, disse que durante o último semestre o banco teve uma postura “alinhada” com a da sociedade e as “dificuldades que (esta) está a passar”, pelo que que suspendeu o seu programa de redução de pessoal, mas que irá avançar no início de 2021, sem adiantar objetivos de saídas.

Maya afirmou que a intenção antes da crise era melhorar o rácio de eficiência (‘cost-to-core-income’, que analisa custos de estrutura face às receitas) “pelos proveitos”, mas que face aos “proveitos condicionados” devido à crise pandémica, o BCP terá de “adaptar a estrutura de custos do banco e o peso dos custos de pessoal na atividade bancária é sempre significativo”.

O BCP fechou o primeiro semestre com menos 110 trabalhadores e 39 balcões relativamente ao mesmo período de 2019. Assim, no final de junho, contava com 7.154 trabalhadores e 493 balcões. Em relação dezembro passado, o BCP perdeu 50 trabalhadores em Portugal e diminuiu 12 sucursais.

Ainda quanto ao Santander Totta, a semana passada o jornal online ECO noticiou que o banco cortou prémios aos trabalhadores, numa medida que está a gerar conflito interno. O banco é detido pelo grupo espanhol Santander, que esta quarta-feira anunciou prejuízos recordes de quase 11 mil milhões de euros no primeiro semestre.

O Santander Totta divulgou esta quarta-feira os seus resultados semestrais apenas através de comunicado, não tendo realizado a habitual conferência de imprensa.