A Microsoft suspendeu as negociações para comprar a rede social TikTok depois de o Presidente dos EUA, Donald Trump, se ter manifestado contra o negócio, escreve este sábado o jornal norte-americano The Wall Street Journal.

Donald Trump tinha afirmado, durante a manha deste sábado, que vai banir a rede social chinesa de partilha de vídeos nos EUA. O anúncio, de acordo com a BBC, surgiu durante uma conferência de imprensa a bordo do Air Force One. A decisão será formalizada através de uma ordem executiva.

Os serviços secretos norte-americanos expressaram a sua preocupação com o facto da aplicação, que é propriedade da empresa chinesa ByteDance, possa estar a ser usada para recolher dados pessoais de cidadãos americanos. O TikTok já negou todas as acusações de ser controlado pelo governo chinês ou de compartilhar informações sensíveis com autoridades governamentais.

Esta rede social, só nos EUA, cresceu de popularidade de forma impressionante nos últimos tempos, contando já com 80 milhões de utilizadores ativos todos os meses. “No que diz respeito ao TikTok, estamos a proibi-lo nos EUA”, disse Trump no avião presidencial. Ainda não é clara qual a autoridade de Trump para banir o TikTok ou até mesmo os desafios legais que essa decisão representaria.

As declarações de Trump levaram os responsáveis da ByteDance, empresa detentora da rede social, a fazer mais cedências nas negociações, entre as quais se inclui a promessa de criar 10 mil empregos nos Estados Unidos ao longo dos próximos três anos.

Porém, não é certo que isto chegue para convencer Trump. De acordo com o The Wall Street Journal, as empresas foram apanhadas de surpresa pelas declarações de Donald Trump.

A Microsoft estava em negociações para comprar a aplicação da ByteDance, mas Trump parece duvidar que esse acordo possa ser aprovado. Um porta-voz desta rede social citado pela BBC recusou comentar a alegada proibição de Trump mas afirmou que a empresa estava “confiante no sucesso a longo prazo do TikTok” nos EUA.

Microsoft está a negociar a compra do TikTok, apesar de Trump ponderar a suspensão daquela app chinesa por razões de segurança

A decisão de proibir o TikTok ocorre num momento tenso entre a administração Trump e o governo chinês, estando no origem dessa crispação temas como disputas comerciais e a forma como Pequim lidou com surto do novo coronavírus.

Atualizado às 22h16 com a notícia da suspensão das negociações para a compra do TikTok