A presidente do Sindicato dos Inspetores do Trabalho denunciou esta sexta-feira que os funcionários da delegação de Guimarães da ACT “pagaram do seu bolso” os testes à Covid-19, que fizeram depois de terem contactado com uma colega infetada.

A direção da ACT [Autoridade para as Condições do Trabalho] diz que seis funcionários já fizeram os testes e é verdade. Mas esqueceu-se de dizer que os pagaram do seu bolso. As funcionárias estavam naturalmente preocupadas e foram por iniciativa própria fazer os testes, porque a ACT não quis saber”, referiu Carla Cardoso.

Acrescentou que só na noite de quarta-feira é que os funcionários foram contactados pela autoridade de saúde para fazerem os testes. Uma trabalhadora da delegação de Guimarães da ACT testou positivo para a Covid-19 e outros 10 foram colocados em isolamento profilático.

Covid-19. Autoridade de Trabalho de Guimarães com um infetado e 10 trabalhadores isolados

Na quinta-feira, à Lusa, a ACT disse que já foram realizados testes a seis dos 10 trabalhadores e que foi efetuada uma desinfeção das instalações, mobiliário e equipamentos. Carla Cardoso disse que as instalações sofreram uma desinfeção “caseirinha”, feita pelas empregadas da limpeza.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Acrescentou que a ACT não disponibiliza máscaras para o serviço no interior das instalações. “Andamos nós a fiscalizar se as empresas disponibilizam ou não equipamentos de proteção individual aos seus trabalhadores e dentro da nossa casa é isto”, acrescentou a sindicalista.

A Lusa tentou ouvir esta sexta-feira a ACT, mas ainda não foi possível.