Expectantes com mais uma passagem da dupla Marques’Almeida pelo Porto, pisámos o terraço do novíssimo The World of Wine para assistir ao desfile da marca portuguesa. Já sabíamos que o momento seria raro, afinal é preciso recuar até até outubro de 2013 para recordar a última coleção que apresentaram em primeira mão em solo português — na altura, na ModaLisboa. Foi uma manhã, no mínimo, especial, pintada de amarelo — cor da alcatifa plastificada que cobria o recinto — e com as cores da própria cidade invicta que, avistada de Gaia e com um desfile de moda pelo meio, foi promovida a postal.

O momento seguiu uma cadência perfeita. Arrancou em tons de branco e com um light blue sublimado por aplicações de plumas. Vestiu-se, em seguida, de amarelo, preto e verdes tropa e atingiu o clímax quando o tie-dye e o acid denim tornaram o ambiente mais pesado, aquecido por tons alaranjados. Marta Marques e Paulo Almeida são portugueses — radicaram-se em Londres há quase uma década, mas é no norte do país que mantêm os laços que há mais tempo perduram. O sentimento de pertença enalteceu o desfile, a pandemia encarregou-se de estreitar a relação da marca com Portugal.

O desfile de Marques’Almeida, com vista para o Porto © Melissa Vieira/Observador

“Tínhamos uma viagem marcada para Portugal no dia 18 de março, ali no limite mesmo. Viemos com malas para ficar três semanas e ainda não nos fomos embora”, conta Marta, ainda a restabelecer-se da adrenalina própria do desfile. O confinamento, impossível de incluir nos planos, reteve-os. Longe do atelier londrino, à dupla restou tirar partido do interregno.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.