A Lovys vai criar um polo de desenvolvimento tecnológico em Leiria e espera recrutar 30 pessoas “altamente qualificadas” para áreas de engenharia nos próximos seis meses. A startup portuguesa que criou um conceito de subscrição mensal em seguros quer triplicar a equipa e expandir para novos mercados.

“Cerca de 60% dos colaboradores da Lovys têm funções de cariz tecnológico. A tecnologia que criamos é das nossas maiores vantagens competitivas, razão pela qual decidimos criar um dos maiores polos de inovação europeus na indústria dos seguros. A existência de talento na cidade, mas também a capacidade de atrair pessoas de outros ecossistemas de inovação circundantes como Aveiro e Coimbra foram fundamentais na escolha”, justifica João Cardoso, CEO da Lovys e também natural de Leiria.

O ecossistema de inovação da cidade, bem como a qualidade de quadros na área e a proximidade a algumas universidades da região centro foram os principais critérios que justificaram a localização do centro em Leiria. Mas a tecnologia aí desenvolvida servirá clientes em vários países.

Numa primeira fase, o polo vai estar na Incubadora D.Dinis (IDDnet), associação criada pelo Instituto Politécnico de Leiria, a Câmara Municipal de Leiria e a NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria.

Fundada em 2017 por João Cardoso, a Lovys conta com mais de 20 mil clientes em França, valor que a empresa acredita que deverá duplicar nos próximos meses com o crescimento do mercado francês mas também de outros. Até ao final de 2021, a empresa espera atingir 100 mil clientes.

Centrada no mercado francês, a Lovys oferece seguros sob forma de subscrição, numa experiência 100% digital. Os clientes podem subscrever até quatro produtos (seguro casa, carro, smartphone ou animais de companhia). Emprega 55 colaboradores em Paris, Lisboa, Porto e Leiria e levantou mais de 3,7 milhões de euros em rondas de investimento. Até ao início do próximo ano, espera concluir ainda uma nova ronda.