As autoridades da Califórnia, nos Estados Unidos, vão patrulhar as ruas para impedir festas de fim de ano e conter o vírus da covid-19, num estado que ultrapassou hoje as 25.000 mortes devido à doença.

O estado do sudoeste dos Estados Unidos é o terceiro do país a passar esta marca, depois de Nova Iorque e Texas, disseram autoridades de saúde.

A Califórnia também confirmou o segundo caso relatado nos Estados Unidos de uma estirpe do coronavírus que parece ser mais contagiosa.

Segundo o departamento de Saúde Pública do estado, os hospitais do sul da Califórnia e do vale agrícola de San Joaquin — que, em conjunto, respondem pela grande maioria dos 40 milhões de residentes da Califórnia – já não têm mais capacidade nas unidades de cuidados intensivos para tratar doentes com covid-19.

Os hospitais estão a acolher doentes em corredores, salas de conferências, refeitórios e lojas e estão a ser improvisados quartos em tendas, estádios e escolas.

Nova Iorque foi o primeiro estado norte-americano a atingir o número de 25.000 mortos, contabilizando agora quase 38.000, seguido do Texas, que tem mais de 27.000, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins.

A Califórnia registou o seu primeiro caso de covid-19 no final de janeiro, sendo que, em agosto, somava 10.000 mortes.

Esta semana, o condado de Los Angeles atingiu um “marco terrível”, com 274 mortes em 24 horas, que elevou o número de vítimas mortais para um recorde de 10.056 pessoas, disse a diretora de saúde do condado, Barbara Ferrer.

A maior parte do estado está sob medidas para combater os contágios, que foram recentemente prolongadas e implicaram o fecho ou redução da capacidade de várias lojas e estabelecimentos comerciais, e as pessoas estão a ser instadas a ficar em casa o máximo possível.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.806.072 mortos resultantes de mais de 82,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (342.414) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 19,7 milhões).

Seguem-se, em número de mortos, o Brasil (193.875 mortos, mais de 7,6 milhões de casos), a Índia (148.738 mortos, mais de 10,2 milhões de infetados), o México (124.897 mortos, mais de 1,4 milhões infetados) e a Itália (73.604 mortos, mais de 2 milhões de casos).

A Rússia, com mais de 3 milhões de casos e 56.426 mortos, é o quarto país do mundo em número de infetados, depois de EUA, Índia e Brasil, seguindo-se a França (mais de 2,6 milhões de casos e 64.381 mortos), o Reino Unido (mais de 2,4 milhões de casos, 73.512 mortos) e a Itália (mais de 2 milhões de casos, 72.370 mortos).