Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Benfica cancelou a habitual conferência de imprensa de Jorge Jesus antes dos jogos, neste caso com o Belenenses SAD para os quartos da Taça de Portugal, por haver uma suspeita de infeção respiratória do treinador. Mais tarde, e após a realização dos exames médicos, ficou confirmado o problema, o que coloca em causa a presença do técnico pelo menos no banco no próximo encontro, dependendo do evoluir da situação.

“Na sequência de exames médicos realizados hoje no Hospital da Luz, o Sport Lisboa e Benfica informa que Jorge Jesus apresenta um quadro de infeção respiratória, encontrado-se clinicamente estável. Jorge Jesus aguarda ainda o resultado de exames complementares de diagnóstico e a sua presença amanhã no comando da equipa técnica para o jogo dos quartos de final da taça de Portugal está dependente do evoluir do seu estado de saúde”, anunciou o clube encarnado num comunicado ao final da tarde onde fez um ponto de situação.

“O Benfica informa que o seu treinador Jorge Jesus tem estado ao longo do dia de hoje a realizar testes médicos. Em causa, uma suspeita de infeção respiratória cuja origem está nesta altura a ser despistada. O Benfica esclarece que a situação não é grave, porém, obriga ao cancelamento da conferência de imprensa marcada para hoje, de antevisão ao jogo dos quartos de final da Taça de Portugal. O Benfica remete para as próximas horas novas informações sobre este assunto e pede que, até lá, seja respeitada a privacidade do treinador”, explicara antes o clube da Luz em comunicado divulgado ao início da tarde publicado no seu site oficial.

Luca Waldschmidt foi a grande novidade do dia, tendo já integrado o trabalho de campo após recuperar da infeção por Covid-19. O mesmo deverá acontecer com Gilberto, Diogo Gonçalves, Vertonghen e Grimaldo, que também testaram negativo como o restante plantel e estarão de volta às opções após autorização do departamento médico do clube. De fora continuam Vlachodimos, Helton Leite, Otamendi, Nuno Tavares e Everton.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR