454kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Covid-19. Semana fecha com cerca de mil casos/dia, em média

Este artigo tem mais de 1 ano

Mais 718 casos este domingo, para uma média semanal de 1.005/dia – a melhor desde início de outubro. Doentes em cuidados intensivos descem há 20 dias consecutivos. Veja o resumo do boletim da DGS.

Daily Life In Lisbon Amid COVID-19 Pandemic
i

NurPhoto via Getty Images

NurPhoto via Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foram detetados, até à meia-noite deste domingo, 718 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, o que perfaz uma média semanal de 1.005/dia – o melhor registo desde o início do mês de outubro. Por outro lado, o número de doentes em cuidados intensivos desce há 20 dias consecutivos e, assim, contam-se 484 pessoas infetadas em estado mais crítico, o que ainda é muito mais do que o dobro dos 200 internados em cuidados intensivos que se afiguram como o objetivo não-oficial para a superação desta vaga da doença.

Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), voltou a baixar o número de diagnósticos de Covid-19 ao longo do sábado (até à meia-noite de domingo) – na véspera tinham sido verificados 1.071 novos casos. Portugal voltou a descer para menos de 1.000 casos diários, como já tinha acontecido no último fim de semana (houve 549 casos no dia 22 de fevereiro) e, desta forma, contabilizou-se uma média de 1.005 casos por dia na semana que agora termina, o que é comparável com os 1.681 da semana anterior e os 2.906 na semana antes dessa.

Recorde-se que Portugal chegou a ter médias semanais superiores a 12 mil casos/dia no final de janeiro. Agora, esta média de pouco mais de mil casos por dia é comparável com as 1.073 da semana terminada em 11 de outubro e com os 792 da semana que acabou a 4 de outubro.

O boletim deste domingo da DGS aponta, também, para uma descida de 8 no número de doentes em cuidados intensivos, para um total de 484 doentes que inspiram maiores cuidados, à meia-noite deste domingo.

O número de doentes em cuidados intensivos está a descer há 20 dias consecutivos. E este total de 484 pessoas é comparável aos 904 que corresponderam ao número máximo de doentes Covid-19 em cuidados intensivos que chegou a haver, no início de fevereiro.

O acesso a cuidados intensivos está normalizado — este indicador mostra como a pressão diminuiu

Quanto ao número geral de doentes internados, que inclui enfermaria e cuidados intensivos, esse número baixou em 15 pessoas, para uma contagem global de 2.165. Este é um número que corresponde, aproximadamente, a um terço da contagem mais elevada de sempre – os 6.869 que existiam no primeiro dia de fevereiro.

Por outro lado, registaram-se 1.664 recuperados, o que contribuiu para que o número de casos ativos baixasse em quase mil, para 69.268 pessoas.

Recorde-se que que Portugal oscilava perto desta fasquia dos 70 mil casos ativos nos últimos dias de 2020 mas esse número disparou subitamente a partir do início de janeiro até superar os 181 mil no último dia desse que foi o pior mês da pandemia em Portugal.

O boletim aponta, também, para mais 41 óbitos atribuídos à Covid-19 nestas 24h, um número superior aos 33 do dia anterior.

Uma das 41 vítimas mortais reportadas este domingo pela DGS diz respeito a um homem na casa dos 50-59 anos. Houve, também, oito vítimas na faixa etária dos 60 anos.

A estes juntam-se 13 pessoas com entre 70 e 79 anos, quase todos homens, e os restantes 19 tinham mais de 80 anos de idade, segundo a DGS.

Os dados mostram, ainda, que mais de metade das mortes ocorreram na zona de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da DGS. Registaram-se 26 óbitos nesta região do país, nas últimas 24h, o que compara com as cinco vítimas mortais no norte e (também) cinco no centro do país.

Além destes, houve, ainda, três óbitos no Alentejo e dois no Algarve, mortes cuja causa as autoridades de saúde atribuíram à infeção pelo novo coronavírus.

Também no que diz respeito ao número de infeções é na zona que inclui a capital do país que houve mais novos casos confirmados: 257.

No norte surgiram 229 novas infeções, no centro do país 97, no Alentejo 50 e no Algarve 32. A estes, juntam-se 35 da Madeira a 18 nos Açores.

Mais 718 casos nas últimas 24h, com 41 mortes com Covid-19

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.