Histórico de atualizações
  • Bom dia. Este liveblog será arquivado, mas já abrimos um novo para acompanhar as notícias sobre a pandemia da Covid-19 ao longo desta segunda-feira. Pode segui-lo aqui.

    Marta Temido: número de doses compradas por Portugal será “muito mais do que aquilo que serão as necessidades para a vacinação integral da população portuguesa”

  • Brasil regista mais 721 mortes e 34.027 infetados

    O Brasil registou nas últimas 24 horas 721 mortes causadas pela Covid-19, pouco mais de metade do que na véspera, apresentando também uma redução no número de infetados com o novo coronavírus (34.027).

    Segundo os dados divulgados este domingo pelas autoridades de saúde, desde o início da pandemia morreram no Brasil 254.942 pessoas e 10.551.259 foram infetadas.

    Esta é a primeira vez nos últimos seis dias que o número de óbitos diários é inferior a 1.000, bem como o número de infetados é inferior a 60 mil.

    Contudo, as autoridades admitem que os números de hoje possam ser superiores, já que há uma carência de recursos humanos ao fim de semana para recolher os dados, sendo que estes acabam por ser consolidados às terças-feiras.

    De acordo com o Ministério da Saúde brasileiro, a taxa de mortalidade pelo vírus foi hoje de 121,3 óbitos por 100 mil habitantes, enquanto a incidência aumentou para 5.020 infetados por 100 mil pessoas. A letalidade da doença no Brasil permaneceu em 2,4%.

    Há mais de um mês que a média de mortes por Covid-19 no Brasil ultrapassa 1.000 pessoas por dia e o de infeções chega a 50 mil, números que colocam metade do país em estado crítico.

    Com o avolumar dos casos, 13 dos 27 estados brasileiros estão à beira colapso e as unidades de cuidados intensivos estão prestes a atingir a capacidade máxima.

    As regiões mais afetadas foram forçadas aumentar as medidas de restrição, nomeadamente com o recolher obrigatório noturno e o encerramento dos estabelecimentos comerciais.

    Esta segunda vaga poderá ter sido causada pela circulação de novas variantes do vírus, entre as quais a chamada mutação brasileira. Essa variante já está presente em 17 países e já chegou a outras regiões do mundo como o Japão, que já a detetou, e o Reino Unido, que confirmou hoje seis casos.

  • Estudo sugere que vacina da Pfizer pode ser menos eficaz em pessoas obesas

    Um novo estudo sugere que a vacina da Pfizer/BioNTech pode ser menos eficaz em pessoas que sofrem de obesidade. Segundo o The Guardian, investigadores italianos descobriram que profissionais de saúde obesos, por comparação com pessoas saudáveis, produzem cerca de metade dos anticorpos em resposta à segunda dose da vacina.

    Estudo sugere que vacina da Pfizer pode ser menos eficaz em pessoas obesas

  • Cabo Verde com mais 76 infetados em 24 horas

    As autoridades sanitárias cabo-verdianas diagnosticaram mais 76 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 15.400 os casos acumulados desde 19 de março, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde.

    Em comunicado, aquele ministério referiu que os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 461 amostras desde sábado, com o concelho da Praia, capital do país, a confirmar mais 22 infetados (em 119 amostras), contando agora com 231 casos ativos.

    Ainda na ilha de Santiago foram confirmados casos do novo coronavírus nos concelhos de São Miguel (três), Ribeira Grande (dois), Santa Cruz (dois) e Santa Catarina (dois).

    Na ilha de São Vicente foram confirmados 19 novos infetados (em 150 amostras), sendo atualmente outro dos focos da doença no arquipélago, com 33 casos ativos.

    Face à evolução da pandemia em São Vicente, o Governo cabo-verdiano prorrogou anteriormente, por 30 dias, até 18 de março, a situação de calamidade para a ilha, a única do país nesse estado.

    Foram ainda registados casos de covid-19 na Boa Vista (vinte), Sal (quatro) e São Nicolau (dois).

  • Covid-19: Angola com 25 novos casos, dois óbitos e sete recuperações

    Angola registou, nas últimas 24 horas, mais 25 casos de Covid-19, dois óbitos e sete recuperações, informaram este domingo as autoridades sanitárias através do boletim epidemiológico da Direção Nacional de Saúde Pública.

    Os novos casos foram reportados em Luanda (15), Huambo (8) e Huíla (2), com idades entre os 5 e os 73 anos, sendo 14 do sexo masculino e 11 feminino.

    Duas pessoas morreram (angolanos, de 43 e 72 anos) e outras sete recuperaram da doença, com idades entre 39 e 78 anos. Os laboratórios processaram 1.183 amostras por RT-PCR, com o cumulativo a apontar para 394.129 testes.

    Angola soma 20.807 casos positivos, dos quais 19.322 recuperaram da doença, 977 estão ativos, incluindo 12 em estado grave, e 508 resultaram em óbito.

  • Variante brasileira detetada no Reino Unido

    A variante brasileira primeiramente descoberta na cidade de Manaus foi detetada no Reino Unido, escreve a Sky News.

    Conhecida como P1, foram identificados três casos em Inglaterra, sendo que o governo Escocês esclareceu que outros três casos foram descobertos no norte do país. Até agora, nada leva a crer que estas infeções estejam relacionadas.

    A variante está a ser rotulada como “preocupante”, acrescenta o The Guardian, uma vez que há receios que as vacinas existentes não sejam eficazes no combate contra esta mutação do vírus.

    Os mistérios de Manaus. Tem mesmo uma variante mais agressiva do vírus, perdeu a imunidade de grupo ou nunca a teve?

    Em entrevista à Rádio Observador, Flávio Guimarães da Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia, alertava, a 23 de fevereiro, que a variante detetada em dezembro na cidade brasileira de Manaus é “preocupante” e admitia poder vir a tornar-se dominante em solo português.

  • Itália: mais 17.455 novos casos e 192 mortes

    A Itália registou mais 17.455 novos casos, o que representa um ligeiro decréscimo face ao dia anterior, quando reportou 18.916 infeções.

    O país soma mais 192 mortes, um número significativamente inferior quando comparado os dados de sábado: 280 óbitos.

    Cerca de 257.024 testes de despiste à Covid-19 foram realizados no dia anterior.

  • Nigéria recebe primeiro lote de vacinas via plataforma Covax

    A Nigéria vai receber o primeiro lote de vacinas contra a Covid-19 esta semana: são quase 4 milhões (das 16 milhões de doses previstas) que vão chegar através da plataforma internacional Covax.

    A Covax, já antes explicou a Agência Lusa, é uma iniciativa conjunta da Organização Mundial da Saúde e da Aliança para o Acesso às Vacinas (GAVI) cujo objetivo é fornecer vacinas que combatam a Covid-19 a países de médio e baixo rendimento.

    Segundo o The Guardian, as 3.92 milhões de doses da vacina da Oxford/AstraZeneca estão previstas chegar ao país já na terça-feira, sendo que as primeiras doses serão administradas aos profissionais de saúde na linha da frente.

    O objetivo é imunizar pelo menos 70% da população adulta no espaço de dois anos — a Nigéria tem quase 200 milhões de habitantes.

  • Guiné-Bissau regista mais 15 novos casos

    A Guiné-Bissau registou mais 15 casos de infeção pelo novo coronavírus, para um total acumulado de 3.262, segundo os dados divulgados este domingo pelo Alto Comissariado para a Covid-19.

    Os dados, referentes a sábado, indicam também que o número de pessoas internadas desceu para 15.

    Segundo o Alto Comissariado há 595 casos ativos no país e 12 pessoas foram dadas como recuperadas para um total acumulado de 2.613. A Covid-19 já provocou a morte a 48 pessoas.

    Na sequência do aumento de casos que se tem registado desde o início do ano, o Governo guineense decidiu prolongar o estado de calamidade por mais 30 dias, até 25 de março.

  • Reino Unido regista número de novos casos diários mais baixo em cinco meses

    No Reino Unido foram confirmados 6.035 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, a contagem diária mais reduzida desde setembro, segundo os dados oficiais. Houve, também, 144 mortes de pessoas que tiveram um teste positivo à Covid-19 nos últimos 28 dias, o critério que é usado no país.

    Estes números são comparáveis com os 9.834 novos casos que foram registados no último domingo e com 215 óbitos também nesse dia, segundo o The Guardian.

    As médias móveis de sete dias permitem verificar que o Reino Unido, que hoje superou a fasquia dos 20 milhões de pessoas vacinadas, está a ter menos 21,2% novos casos em comparação com o anterior período de sete dias.

  • Câmara de Lisboa paga o táxi a quem precise para ser vacinado

    A Câmara Municipal de Lisboa anunciou este domingo que vai assegurar, a partir de amanhã (1 de março), o transporte em táxi gratuito até aos locais de vacinação. Têm direito a este serviço “os munícipes que vivem em Lisboa, que tenham 80 ou mais anos ou mais de 50 anos com patologias e dificuldades de mobilidade ou deslocação”.

    Em comunicado de imprensa, a autarquia informa que os munícipes que pertençam a um destes grupos, ao ser convocado para a toma da vacina, pode ligar para o número 218 172 021 e solicitar o transporte por táxi até ao centro de vacinação.

    A Câmara de Lisboa paga o transporte desde a sua morada de residência em Lisboa até ao ponto de vacinação indicado, bem como o regresso ao seu domicílio.”

    Segundo o comunicado, “este serviço não tem qualquer custo para o utente, que poderá ser acompanhado por um familiar, respeitando as regras sanitárias em vigor”.

    Como solicitar o serviço de transporte em táxi:
    1. ligar o 218 172 021.
    2. identificar o nome do utente, a morada completa, número de telemóvel/telefone, e centro de vacinação de destino.
    3. Indicar a hora de saída, tendo o tempo de deslocação e a hora da vacina.
    4. Se necessitar de ajuda para entrar ou sair do veículo, indicar ao operador.
    5. Depois de ser vacinado, para pedir o serviço de regresso a casa deve voltar a contactar o número 218 172 021 e referir a informação identificada para o transporte de ida.

    O pedido pode ser solicitado pelo utente, Centro de Vacinação ou pela Junta de Freguesia, indica a câmara municipal.

  • Vacina da Johnson & Johnson deve ser aprovada na Europa no início de março

    A vacina da norte-americana Johnson & Johnson, que tem a particularidade de ser apenas em uma dose, deverá ser aprovada pela Agência Europeia do Medicamento (para ser utilizada na União Europeia) no início de março, revelou uma ministra do governo francês, a ministra da Indústria Agnes Pannier-Runacher.

    Este produto foi aprovado formalmente na noite deste sábado nos EUA, tornando-se a terceira vacina aprovada no país (além da Pfizer e da Moderna), e se receber “luz verde” também na Europa no início do mês de março isso significará que a distribuição pelos países europeus poderá arrancar no final de março ou início de abril, afirmou a ministra francesa em declarações à France 3.

    A confirmar-se esta expectativa, será uma “excelente notícia” não só porque aumenta o número de vacinas disponíveis mas, também, porque esta é uma vacina que tem eficácia com apenas uma dose, o que simplifica e acelera o processo de inoculação. Ainda assim, os especialistas ainda estão a avaliar os possíveis benefícios de as pessoas receberem uma segunda dose.

    Vacina da Johnson & Johnson deve ser aprovada na Europa no início de março

  • Reino Unido já vacinou 20 milhões de pessoas (e vai dar testes rápidos grátis a quem tem filhos na escola)

    O Reino Unido, que hoje superou a fasquia das 20 milhões de pessoas vacinadas (pelo menos com uma dose), vai dar testes rápidos grátis a quem tem filhos na escola, para que toda a família se possa testar duas vezes por semana em casa.

    Esta é umas das principais medidas que o governo britânico irá tomar na Inglaterra para assegurar um regresso às aulas o mais seguro possível, já a partir de 8 de março.

    Segundo o The Guardian, os testes rápidos vão ser entregues não só às famílias mas, também, às escolas e creches – o objetivo é que todas as pessoas se testem quer tenham ou não sintomas.

    Cada família vai poder encomendar o número necessário de testes rápidos para que toda a família se teste duas vezes por semana, e os testes vão poder ser levantados em unidades de distribuição próprias espalhadas pelo território, segundo o DHSC (departamento de saúde e assistência social).

    Quanto ao facto de no Reino Unido se ter superado os 20 milhões de pessoas vacinadas, o primeiro-ministro, Boris Johnson, já usou o Twitter para agradecer o “trabalho incansável” de todos os envolvidos neste processo de vacinação e para pedir a todos que vão tomar a vacina quando forem chamados.

  • Regressaram ao continente os últimos doentes transferidos para a Madeira

    O primeiro-ministro, António Costa, acaba de usar a rede social Twitter para confirmar que regressaram ao continente os últimos doentes transferidos para a Madeira.

  • Covid-19. Semana fecha com cerca de mil casos/dia, em média

    Mais 718 casos este domingo, para uma média semanal de 1.005/dia – a melhor desde início de outubro. Doentes em cuidados intensivos descem há 20 dias consecutivos. Veja o resumo do boletim da DGS.

    Covid-19. Semana fecha com cerca de mil casos/dia, em média

  • Boletim DGS. Mais de metade das mortes ocorreram na zona de Lisboa e Vale do Tejo

    Mais de metade das mortes ocorreram na zona de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da DGS. Registaram-se 26 óbitos nesta região do país, nas últimas 24h, o que compara com as cinco vítimas mortais no norte e (também) cinco no centro do país.

    Além destes, houve, ainda, três óbitos no Alentejo e dois no Algarve, mortes cuja causa as autoridades de saúde atribuíram à infeção pelo novo coronavírus.

    Também no que diz respeito ao número de infeções é na zona que inclui a capital do país que houve mais novos casos confirmados: 257.

    No norte surgiram 229 novas infeções, no centro do país 97, no Alentejo 50 e no Algarve 32. A estes, juntam-se 35 da Madeira a 18 nos Açores.

  • Boletim DGS. Um dos mortos estava na casa dos 50 anos

    Uma das 41 vítimas mortais reportadas este domingo pela DGS diz respeito a um homem na casa dos 50-59 anos. Houve, também, oito vítimas na faixa etária dos 60 anos.

    A estes juntam-se 13 pessoas com entre 70 e 79 anos, quase todos homens, e os restantes 19 tinham mais de 80 anos de idade, segundo a DGS.

  • Boletim DGS. 484 internados em cuidados intensivos, menos oito do que na véspera

    O boletim deste domingo da DGS aponta, também, para uma descida de 8 no número de doentes em cuidados intensivos, para um total de 484 doentes que inspiram maiores cuidados, à meia-noite deste domingo.

    O número de doentes em cuidados intensivos está a descer há 20 dias consecutivos.

    Quanto ao número geral de doentes internados, que inclui enfermaria e cuidados intensivos, esse número baixou em 15 pessoas, para uma contagem global de 2.165.

    Por outro lado, registaram-se 1.664 recuperados, o que contribuiu para que o número de casos ativos baixasse em quase mil, para 69.268 pessoas.

  • Boletim DGS. Mais 718 casos nas últimas 24h, com 41 mortes com Covid-19

    Foram confirmadas, nas 24h até à meia-noite deste domingo, mais 718 infeções pelo novo coronavírus em Portugal, segundo o boletim diário que acaba de ser divulgado pela Direção-Geral de Saúde (DGS). São menos do que as 1.071 registadas na véspera.

    Portugal volta a descer para menos de 1.000 casos diários, como já tinha acontecido no último fim de semana (houve 549 casos no dia 22 de fevereiro).

    O boletim aponta, também, para mais 41 óbitos atribuídos à Covid-19 nestas 24h, mais do que os 33 do dia anterior.

  • Covid-19. Madeira regista 46 novos casos e um total de 1.296 infeções ativas

    A Madeira registou hoje 46 novos casos de covid-19, 96 recuperações e 151 situações suspeitas. O total de infeções ativas no arquipélago é agora de 1.296.

    Covid-19. Madeira regista 46 novos casos e um total de 1.296 infeções ativas

1 de 2