indústria hoteleira é um dos setores mais afetados pela crise económica derivada da pandemia . Há um ano, o horário de funcionamento ou de encerramento foi limitado para conter a curva de contágios. Uma equipa escocesa tentou perceber se o setor está preparado para abrir sem riscos, mas as conclusões não são animadoras para os profissionais desta área.

O novo estudo, publicado no Journal of Studies on Alcohol and Drugs, analisa a eficácia das medidas anticovid nas empresas com autorização para vender álcool e questiona se os proprietários e clientes são capazes de prevenir de forma eficaz e sistemática a transmissão da doença. Os autores admitem um esforço dos proprietários, mas verificaram que tanto funcionários como clientes têm dificuldade em cumpri-las, especialmente quando o consumo de álcool aumenta.

A investigação, liderada pela Universidade de Stirling (Escócia), foi realizada entre maio e agosto de 2020 em diversos tipos de instalações no país, que reabriram após um encerramento nacional, e operaram sob orientação detalhada do governo com o objetivo de reduzir os riscos de transmissão .

De acordo com Niamh Fitzgerald, coordenadora do trabalho, as conclusões podem ajudar os especialistas em saúde pública e decisores políticos a considerar o impacto da pandemia no setor hoteleiro e os riscos de suspender as restrições. “É importante entender como a transmissão pode ocorrer nos bares para informar sobre futuras orientações, ajudas, sanções ou outras medidas necessárias”, explica à Agencia Sinc.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.