239kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Boletim DGS. Há 26 concelhos acima da linha vermelha (a contar com as ilhas), mas os dados são da semana passada /premium

Dos 26 concelhos acima dos 120 casos por 100 mil habitantes, apenas 2 já se encontravam nessa situação na semana anterior. Os dados do continente já tinham sido apresentados por Costa na quinta-feira.

i

30 concelhos desceram da linha de risco, 24 subiram e apenas dois se mantiveram de uma semana para a outra

30 concelhos desceram da linha de risco, 24 subiram e apenas dois se mantiveram de uma semana para a outra

Os dados apresentados pela Direção-Geral da Saúde às segundas-feiras, em relação à incidência acumulada nos concelhos, referem-se sempre à terça-feira da semana anterior. Esta semana, o sistema repetiu-se, mas os dados já tinham sido apresentados por António Costa, depois da reunião do Conselho de Ministros, no dia 1 de abril.

Assim, os dados da DGS, constantes no boletim desta segunda-feira, dizem respeito ao número de novos casos por 100 mil habitantes acumulados entre 17 e 30 de março e foram divulgados pelo primeiro-ministro na quinta-feira: 19 concelhos acima da linha vermelha definida pelo Governo (120 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias). Tendo em conta as variações que acontecem no espaço de uma semana, esta informação pode estar já completamente desatualizada.

Os 19 concelhos (e a vizinhança) em risco de parar o desconfinamento. Veja o mapa

Recordando: 13 desses concelhos tinham entre 120 e 240 novos casos por 100 mil habitantes acumulados em 14 dias: Alandroal, Albufeira, Beja, Borba, Cinfães, Figueira da Foz, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Marinha Grande, Penela, Soure, Vila do Bispo e Vimioso. Os outros seis tinham uma incidência acima de 240 casos por 100 mil habitantes: Carregal do Sal, Moura, Odemira, Portimão, Ribeira de Pena e Rio Maior.

Acima do limite dos 120 casos, mas sem estar sujeito às restrições impostas pelo Governo, estão seis concelhos no arquipélago da Madeira (Funchal, Ponta do Sol, Câmara de Lobos, Santa Cruz, Ribeira Brava e Machico) e um no arquipélago dos Açores (Ponta Delgada). Existiam, assim, um total de 26 concelhos nestas condições em todo o país.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Penela e Ribeira Brava são os únicos concelhos que continuaram acima da linha vermelha no espaço de uma semana

No espaço de uma semana (de 23 para 30 de março), 24 concelhos ultrapassaram a linha vermelha definida pelo Governo — 120 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

Por outro lado, 30 dos 32 concelhos que estavam acima desse limite, estão agora abaixo dessa incidência acumulada definida como limite. Os únicos dois concelhos que se mantiveram acima dos 120 casos por 100 mil habitantes, de uma semana para a outra, foram Penela e Ribeira Brava.

Os restantes 252 concelhos, que se encontravam abaixo dos 120 novos casos por 100 mil habitantes (em 14 dias), a 23 de março, continuavam assim a 30 de março.

Boletim DGS. 32 concelhos acima da linha vermelha, mas apenas um no nível de risco muito elevado

Machico continua a ser o único concelho no nível de risco muito elevado

Machico, na Madeira, desceu a incidência acumulada de 23 para 30 de março, mas continua a ser o único concelho do país no nível de risco muito elevado, acima de 480 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

Os seis concelhos de risco elevado localizam-se todos no continente e, com exceção de Odemira que desceu ligeiramente a incidência, todos subiram o número de novos casos por 100 mil habitantes. Destacam-se Carregal do Sal e Ribeira de Pena que estavam abaixo da linha vermelha (120 casos por 100 mil habitantes) na semana anterior e Portimão que estava no nível de risco moderado.

Concelho Incidência acumulada a 30.Março
Incidência acumulada a 23.Março
Machico 500 601
Moura 474 386
Rio Maior 334 280
Odemira 316 336
Portimão 308 186
Carregal do Sal 302 97
Ribeira de Pena 283 83

Carregal do Sal e Ribeira de Pena estão assim não só entre os concelhos com maior incidência, mas também são aqueles que tiveram o maior aumento entre 23 e 30 de março.

Alandroal, Vila do Bispo e Vimioso, que estão entre os 19 concelhos acima da linha vermelha, também estão entre os concelhos que tiveram maior aumento na incidência acumulada.

Concelhos Incidência a 30.Mar Incidência a 23.Mar Variação numa semana
Carregal do Sal 302 97 205
Ribeira de Pena 283 83 200
Alandroal 200 20 180
Vila do Bispo 213 39 174
Vimioso 174 25 149
Portimão 308 186 122
Monchique 98 0 98
Moura 474 386 88
Aguiar da Beira 86 0 86
Nordeste 82 21 61

Por outro lado, Alcoutim, que era o segundo concelho com maior incidência acumulada a 14 dias a 23 de março, é agora o concelho que apresenta a maior descida no número de novos casos por 100 mil habitantes.

Belmonte e Ribeira Brava, que se encontravam no nível de risco elevado (acima de 240 casos por 100 mil habitantes) descem para o nível de risco moderado — Belmonte sai mesmo da zona vermelha.

Concelhos Incidência a 30.Mar Incidência a 23.Mar Variação numa semana
Alcoutim 46 417 -371
Belmonte 109 297 -188
Castelo de Vide 0 171 -171
Ribeira Brava 225 386 -161
Golegã 112 225 -113
Gouveia 57 170 -113
Arronches 0 106 -106
Machico 500 601 -101
Lagoa, Açores 41 136 -95
Penacova 51 146 -95

Área metropolitana de Lisboa desce a incidência acumulada deste o início de março

Os 15 concelhos com maior densidade populacional (segundo o Censos 2011) estavam abaixo da linha vermelha traçada pelo Governo — 120 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias —, no dia 30 de março.

Almada era o concelho que se encontrava mais próximo de ultrapassar esse limite. A 9 de março, este concelho apresentava uma incidência acumulada de 34 novos casos por 100 mil habitantes.

Amadora, Lisboa, Odivelas, Barreiro e Cascais, na área metropolitana de Lisboa, tem vindo a descer a incidência acumulada deste o início do mês de março. Já o Porto e Matosinhos, apresentam uma ligeira subida em relação à semana anterior (23 de março).

Concelhos Incidência acumulada a 30.Mar Incidência acumulada a 23.Mar
Amadora 99 113
Lisboa 85 89
Porto 97 91
Odivelas 69 82
Oeiras 69 65
Matosinhos 53 40
São João da Madeira 9 9
Almada 114 95
Barreiro 49 55
Cascais 60 60
Vila Nova de Gaia 66 74
Seixal 71 76
Maia 42 46
Espinho 68 88
Entroncamento 60 46

Beja é a única capital de distrito acima da linha vermelha

A 30 de março, Beja era a única capital de distrito com mais de 120 novos casos por 100 mil habitantes, a 14 dias, apresentando o maior aumento na incidência desde a semana anterior.

No extremo oposto, Viana do Castelo, que era a única capital de distrito acima da linha vermelha na semana anterior (a 23 de março), teve a maior descida na incidência.

Capital de distrito Incidência acumulada a 30.Mar Incidência acumulada a 23.Mar
Aveiro 52 38
Beja 134 80
Braga 26 25
Bragança 21 12
Castelo Branco 17 17
Coimbra 56 87
Évora 6 15
Faro 64 59
Guarda 18 44
Leiria 50 53
Lisboa 85 89
Portalegre 41 59
Porto 97 91
Santarém 33 51
Setúbal 77 84
Viana do Castelo 59 147
Vila Real 20 38
Viseu 11 27

282 concelhos estavam abaixo dos 120 casos por 100 mil habitantes

Dos 308 concelhos de Portugal continental e insular, 282 estavam abaixo da linha vermelha definida pelo Governo (menos de 120 novos casos por 100 mil habitantes, nos 14 dias anteriores) e 26 acima, segundo os dados da DGS de 30 de março.

Estes 282 concelhos mais 19 com incidência até 240 novos casos por 100 mil habitantes, correspondem ao nível de risco moderado e inserem-se nas categorias 1 a 4, definidas pelo Centro Europeu para a Prevenção e Controlo da Doença (ECDC). As restantes categorias correspondem aos níveis de risco mais altos: elevado (5); muito elevado (6); e extremamente elevado (7).

Categoria Incidência acumulada a 14 dias (novos casos/100 mil hab.) N.º de concelhos
1 Abaixo de 20,0 96
2 Entre 20,0 e 59,9 123
3 Entre 60,0 e 119,9 63
4 Entre 120,0 e 239,9 19
5 Entre 240,0 e 479,9 6
6 Entre 480 e 959,9 1
7 Acima de 960 0

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.