O Papa Francisco vai pedir hoje a suspensão temporária dos direitos de propriedade intelectual das vacinas contra o coronavírus, numa mensagem de vídeo que será transmitida num concerto nos Estados Unidos da América.

A posição do Papa será divulgada hoje no “Vax Live”, o concerto da campanha destinada a arrecadar fundos para a distribuição de vacinas em todo o mundo.

Na sua mensagem, Francisco apoia a recente posição do Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e apela a “um espírito de justiça” que mobilize o mundo a “garantir o acesso universal à vacina e a suspensão temporária dos direitos de propriedade intelectual”, segundo informação avançada pela agência de notícias espanhola, Efe.

O Papa Francisco volta a defender que é preciso um “espírito de comunhão” que permita “gerar um modelo económico diferente, mais inclusivo, justo e sustentável”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na sua mensagem, alerta para o que chama serem as “variantes do vírus”: uma é o “o nacionalismo fechado, que impede, por exemplo, uma internacionalização das vacinas” e “outra variante é quando colocamos as leis do mercado ou da propriedade intelectual acima das leis do amor, da saúde e da humanidade “.

“Quando criamos e promovemos uma economia doentia, que permite que uns poucos muito ricos possuam mais do que todo o resto da humanidade, e que os modelos de produção e consumo destruam o planeta, nossa casa comum” foi outra das variantes identificas pelo Pontífice.

Transmitida durante um concerto, a mensagem identifica o Papa como um “velho que não dança nem canta como tu, mas que acredita contigo que a injustiça e o mal não são invencíveis”.

Lembrando as mortes e sofrimento causados pela pandemia, o Papa Franciso pede “que não se esqueçam dos mais vulneráveis”, alertando o facto de esta pandemia estar a contribuir “para o agravamento das crises sociais e ambientais”.

No seu discurso volta a repetir uma das ideias que mais tem repetido nos últimos tempos: “Não te esqueças que não saímos iguais de uma crise, ou saímos melhor ou pior”.

O “Vax Live”, organizado pela organização não-governamental (ONG) Global Citizen, será apresentado pela cantora Selena Gomez e contará com a participação de inúmeras personalidades, desde o Presidente Joe Biden aos duques de Sussex, estando previstas atuações de cantores como Jennifer Lopez, Eddie Vedder, Foo Fighters, E.L.L.E. ou J. Balvin.

A Global Citizen é uma ONG californiana que tem entre os seus sócios personalidades como a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras grandes entidades mundiais.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.258.595 mortos no mundo, resultantes de mais de 155,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.989 pessoas dos 838.852 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

SIM // JH

Lusa/FIM