Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Centenas de gatos morreram no Reino Unido nos últimos três meses, potencialmente vítimas de uma doença rara chamada pancitopenia. As várias mortes, segundo as investigações em curso, poderão ter um denominador comum: a ração para gatos produzida pela Fold Hill Foods.

Segundo estudos conduzidos em julho pela universidade veterinária RVC (Royal Veterinary College) e pelo departamento de saúde pública FSA (Food Standard Agency), nas amostras de rações analisadas foi revelada a presença de toxinas de fungos potencialmente nocivos, segundo o The Guardian.

Embora tenham sido registados com sintomas da doença pelo menos 555 gatos — dos quais cerca de 350 morreram — ainda não existem dados que comprovem que as toxinas encontradas na alimentação dos felinos, possam estar diretamente relacionadas com a doença.

Segundo os dados avançados pelo RVC, estes números podem não espelhar a realidade do total de casos, já que estes apenas se cingem uma pequena percentagem de veterinários que estão a reportar os incidentes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta doença que atinge a medula óssea pode causar graves hemorragias e revelar-se fatal, uma vez que reduz o número de células sanguíneas nos gatos, o que afetará, consequentemente, a produção de glóbulos vermelhos, plaquetas e glóbulos brancos.

Alimentos crus para cães são “fonte de bactérias resistentes a antibióticos”

Após o alerta de veterinários e a condução de estudos, em junho, a empresa que produz comida para animais deu o alerta para a sua potencial perigosidade, dada a possível correlação com o fungo causador da pancitopenia.

Incitada pela investigação em curso da RVC e da FSA, a Fold Hill Foods decidiu então retirar das prateleiras as comidas para gatos hipoalergénicos das marcas Saintbury’s, Applaws e AVA.

A empresa resslava que “não existe nenhuma correlação que estivesse demonstrada entre as mortes e a comida” da marca, mas reconhece “entender” o alarme causado. “As equipas de veterinários estão a trabalhar arduamente para detetar a fonte” desta doença, aponta.

A investigação está ainda em curso, e a RVC e a FSA ainda não confirmaram o motivo causador das mortes, mas ponderam todas as possibilidades, incluindo causas não relacionadas diretamente com comida.