Obrigado por ser nosso assinante. Usufrua de leitura ilimitada deste e de todos os artigos do Observador.

O regulador de proteção de dados da Irlanda multou o WhatsApp após uma investigação ter descoberto que o serviço de mensagens infringiu regras da União Europeia, mais precisamente as normas de transparência na partilha dos dados dos utilizadores com outras empresas do Facebook (que detém o WhatsApp).

A Comissão de Proteção de Dados irlandesa — responsável por assegurar os direitos dos cidadãos da UE — ordenou a aplicação a tomar “ações corretivas” no sentido de adaptar a forma como comunica com os utilizadores às regulações da União, noticia a agência Associated Press.

A multa de 225 milhões de euros constitui um recorde, sendo a maior emitida pelo regulador irlandês por causa do Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE (GDPR), e também a segunda mais elevada emitida pela União por causa do mesmo regulamento.

A aplicação utilizada por dois milhões de pessoas em todo o mundo já reagiu, dizendo que vai recorrer da decisão e considerando que a punição é desproporcional. O WhatsApp assegura que tem trabalhado para que a informação que fornece seja “transparente e compreendida” por todos.

A decisão, que também pode ser lida no site oficial, segue-se a uma investigação iniciada em dezembro de 2018 pelo regulador irlandês, após o GDPR ter entrado em efeito. A comissão irlandesa é a principal autoridade que fiscaliza este regulamento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR