A noite foi de chuva fora e dentro do Pavilhão Centro Portugal, em Coimbra, onde Marisa Matias montou o quartel-general. Se havia chuva lá fora, cá dentro a noite era fria e com pouca emoção. A sala esteve praticamente vazia, havia apenas jornalistas e técnicos. Marisa Matias e os membros do Bloco de Esquerda que estiveram ao lado da candidata mantiveram-se quase sempre pelo andar superior do edifício. Exceção para os momentos dos discursos, em que se alinharam do lado direito do palco. O que se passou no andar de cima ninguém sabe, mas quando desciam as escadas não havia semblantes carregados.

Na história dos números, uma diferença de mais de 300 mil votos a menos entre a noite do Coliseu do Porto e a deste domingo, em Coimbra: em 2016, Marisa Matias somou quase 470 mil mil votos; hoje, o resultado não chegou aos 165 mil. A candidata bloquista que sonhava com “duas mulheres à frente de Ventura” perdeu para João Ferreira, do PCP e ficou em quinto lugar com 3,95% dos votos. Pelo caminho, perdeu ainda a posição de mulher mais votada de sempre em presidenciais – para Ana Gomes – e o direito à subvenção.

No discurso, feito cedo e antes de haver resultados finais, a candidata do Bloco de Esquerda assumiu a derrota e mostrou-se preocupada com a “reconfiguração da direita”. No meio da intervenção final, ainda houve tempo para uma farpa ao PS. Marisa começou pelos agradecimentos a todos os que possibilitaram umas eleições seguras, disse já ter telefonado a Marcelo Rebelo de Sousa para o “felicitar” pela vitória e revelou que ligou a Ana Gomes para lhe dizer que gosta de ver a “solidariedade e frontalidade acima das aldrabices e do ódio de André Ventura”.

Os resultados não são os que esperávamos, não são os que esperei e estão longe do objetivo que traçámos. Dei neste combate o melhor de mim, o resultado não é o que eu desejava (…). Não é também uma falta de comparência.”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.