Índice

    Índice

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

António Costa ainda estava a fazer as saudações típicas de início de discurso, depois de subir ao palco em ambiente de festa. Entre os que agitavam as bandeiras do Partido Socialista na assistência, havia, porém, quem estivesse pronto para levantar cartazes, atirar aviões de papel e agitar raquetes de pingue-pongue.

Era o jantar-comício de aniversário do PS e ninguém esperava que o secretário geral e primeiro-ministro fosse interrompido — mesmo que o ministro do Ambiente já o tivesse sido numa cimeira sobre o clima, na semana anterior e pelo mesmo grupo. Logo nos primeiros minutos, quatro jovens aproximaram-se do palco. Um deles subiu e começou a disputar o microfone com António Costa, que ia insistindo em continuar o discurso. O primeiro-ministro ainda lhe atirou um “desculpe, com licença, posso?”, tentou prosseguir para “saudar os nossos antigos secretários-gerais”, mas o manifestante desviou-lhe o microfone de novo e tentou falar. Acabou por ser retirado pelos seguranças, enquanto dizia: “Lamentamos incomodar a vossa festa…”.

.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.