Índice

    Índice

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Som, som, som. Teste. Estão a ouvir? Estão? Era o contrário do que queríamos com estes headphones, úteis para para quem está a viajar de avião ou num local de trabalho com muitas distrações. A tecnologia de cancelamento de ruído pode ajudar a isolar o som, mas até que ponto garantem o silêncio que procuramos? Foi para responder a esta dúvida que testámos dois dos melhores modelos no mercado, os Bose QuietComfort 35 II e Sony WH-1000XM2, onde e como não é suposto: numa discoteca com música eletrónica a mais de 100 decibéis. Nos headphones, tocava Chopin. Já saltámos de uma ponte e jogámos com a seleção portuguesa de Rugby para levar equipamentos ao limite, e desta vez fizemos algo igualmente desafiante: fomos a uma discoteca em Lisboa, na rua cor de rosa, no Cais do Sodré.

[Antes de ler a descrição e a análise comparativa aos dois headphones mais em baixo, veja o vídeo do teste]

Dois headphones sem fios com cancelamento de ruído e uma discoteca

O mais difícil no início deste teste foi encontrar os dois melhores modelos de headphones com cancelamento de ruído. Apesar de a tecnologia para isolar completamente o som ainda não existir, quem, em vez de ter vizinhos de cima ou de baixo, tiver vizinhos sem consideração, sabe que esse é um mercado com potencial para explorar. Tanto os Bose QuietComfort 35 II como os Sony WH-1000XM2 são líderes e dos mais competentes a cancelar o ruído de fundo. Experimentámos os dois modelos numa redação barulhenta — a do Observador — e em viagens de avião. Com as experiências, comprovámos que são dos melhores. Contudo, soou-nos a pouco.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para perceber até que ponto são bons, o teste tinha de passar por pormos música contra música. O objetivo era cancelar o som exterior com som escolhido pelo utilizador. Escolhemos ouvir Chopin nos headphones, enquanto toda a gente à nossa volta dançava música eletrónica, na discoteca Jamaica. Não porque adoremos piano, mas porque foi esta a sonoridade que os direitos de autor permitiram.

Primeiro, foi a vez de testarmos os Bose QuietComfort 35 II, na pista de dança. Com música de discoteca de fundo, surpreenderam. Ouvimos Chopin, apesar de, no fundo, continuarmos a ouvir e a sentir, através da vibração, a música de discoteca. Como foram os primeiros a ser testados, serviram também para percebermos que o cancelamento de ruído funciona melhor com sons constantes e repetitivos. Mesmo não isolando todo o barulho externo, reduz bastante o volume. O resultado foi melhor do que seria de esperar, mas ainda faltava testar o segundo modelo.

Depois, foi a vez dos Sony WH-1000XM2. Em termos de qualidade de som, são muito idênticos aos Bose. Contudo, cancelaram melhor o ruído da música exterior. Chopin ouviu-se com o volume no máximo, mas a música de fundo estava mais abafada e menos percetível do que no teste com os Bose QuietComfort 35 II. A tecnologia de cancelamento de ruído é comparável à dos Bose, mas, neste teste, foram melhores. Depois de termos submetido os nossos ouvidos a cerca de uma hora de música clássica misturada com eletrónica (não é o mix perfeito), num volume bastante alto tanto no exterior como nos headphones, o que os nossos ouvidos quiseram não foi nem som de piano nem música de discoteca, foi silêncio absoluto. Nisso, os headphones não ajudaram, mas sair da rua cor de rosa ajudou.

Bose QuietComfort 35 II versus Sony WH-1000XM2

Os Sony WH-1000XM2 podem ter vencido os Bose QuietComfort 35 II neste teste, mas, enquanto headphones são os dois bastante equiparáveis (e não é só no preço). Começando pelas funcionalidades, os dois aparelhos têm a mesma tecnologia para cancelar ruído, os microfones captam os sons ambiente, como o motor do avião ou o barulho constante no exterior, e reproduzem a frequência inversa para os ouvidos, sem que o utilizador note — o resultado é uma grande redução de ruído, que disfarça até o som de uma discoteca.

2 fotos

Além do cancelamento de ruído, os dois dispositivos funcionam por Bluetooth e têm a opção de ligação com fios a outros aparelhos também. Para melómanos, esta opção é boa, porque garante melhor qualidade de som e, quando a bateria se esgota, permite que continuem a ser utilizados (apesar de a função de cancelamento de ruído ficar desativada). Com microfones embutidos, estes dispositivos também permitem fazer chamadas, literalmente, “mãos livres”.

Quanto às diferenças, apesar de, no som, os dois equipamentos terem mostrado estar ao mesmo nível, não deixam de ser distintos noutros aspetos. Considerámos que os Sony WH-1000XM2 são mais confortáveis, mas a opinião não é consensual. A almofada de ouvido dos Sony é mais confortável do que a dos Bose, mas estes últimos têm mais espaço para a orelha. Como boa doutrina, aqui há divergência.

2 fotos

Enquanto os QuietComfort 35 II têm botões físicos para controlar o volume, chamadas e até um botão programável (a verdadeira diferença neste modelo da Bose em relação ao anterior), os WH-1000XM2 têm um ecrã tátil que, dependendo do número de toques e gestos permite controlar o equipamento. No início, os Bose são mais intuitivos, mas depois de nos habituarmos aos gestos dos headphones da Sony comprovamos que não só é uma solução mais prática, como também mais elegante. As apps disponíveis para controlar as definições dos dois headphones mostraram-se irrelevantes. Conseguimos conectar, sem problema, os dois modelos com vários dispositivos, de iPhones a smartphones Android, Macs e PC, e não voltou a ser necessário utilizá-las.

Em relação à bateria, os WH-1000XM2 também foram vencedores, mas não por muito (ao todo, conseguiram ciclos entre 27 a 32 horas). Já os Bose, conseguiram menos tempo entre carregamentos (ciclos entre 25 a 30 horas), mas notou-se pouco porque, carregando de três em três dias, a bateria nunca fica completamente descarregada. O carregamento é feito por USB Micro, o antigo universal.

Por fim, os Bose QuietComfort 35 II têm uma caixa para para transportar quando não estão em utilização, que é um pouco mais pequena e mais prática que a dos Sony WH-1000XM2. São produtos práticos para guardar numa mochila, porque tê-los à volta do pescoço é desconfortável.

Veredito final: Dois headphones (bem) caros, mas que cancelam ruído

Tanto os Bose QuietComfort 35 II, como os Sony WH-1000XM2 comprovaram ser produtos desejáveis para ouvirmos música. Ainda não isolam completamente o som nem evitam que fiquemos com as orelhas quentes. No entanto, ajudam bastante a cancelar o ruído. No teste que fizemos na discoteca, os Sony WH-1000XM2 ganharam, apesar de os Bose QuietComfort 35 II conseguirem competir a um nível próximo. No fim, ouvimos bastante música. Agora, silêncio.

Bose QuietComfort 35 II
Cancelamento de Ruído
Bluetooth
Botão multifunções para assistentes digitais (Siri e Google) e botões de controlo volume, de música e chamadas
Bateria: até 20 horas
PVP de €379,9

Sony WH-1000XM2
Cancelamento de Ruído
Bluetooth
Controlo táctil para volume, controlo de música e chamadas
Bateria: até 30 horas
PVP de €379,9