Uma fotografia de uma mulher a consumir cocaína a partir de um telemóvel branco está a ser partilhada nas redes sociais com uma legenda que a identifica com a política Victoria Donda, que é associada ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), um partido brasileiro fundado em 2004, e descrita como a “principal promotora do aborto”. A imagem tem vários problemas. Um deles diz respeito à frase que a acompanha (“Isso é esquerda. Isso é PSOL. Isso é a escória humana”), que estabelece uma ligação entre a política e o PSOL. Donda não é brasileira, mas argentina, e não tem, nem nunca teve, ligação com o partido criado por dissidentes do Partido dos Trabalhadores (PT).

A imagem que circula atualmente no Facebook

É, no entanto, verdade que Victoria Donda pertence a um partido de esquerda, o Somos, que ajudou a fundar em 2008 depois de abandonar o Movimento Libres del Sur, que então integrava. Advogada e ativista, apresenta-se, tal como o seu partido, como feminista, atuando nas áreas dos direito de género, direitos humanos e economia. Tem sido uma das principais voz de defesa do aborto na Argentina, aprovado no final de 2020. Donda é filha de desaparecidos políticos, aprisionados durante a ditadura militar argentina. A política nasceu entre julho e agosto de 1977 quando a mãe, María Hilda de Donda, se encontrava presa, na Escuela de Melania de la Armada, em Buenos Aires. Os seus pais permanecem até hoje desaparecidos.

O que não é verdade é que a mulher da fotografia se trata de Victoria Donda. O site de fact checks argentino Chequeado analisou a imagem em abril de 2019, quando circulava nas redes sociais na Argentina, e concluiu isso mesmo. Para sustentar as suas conclusões, a página de verificação de notícias falsas apontou as “óbvias diferenças físicas” e obteve um comentário da própria ativista, que confirmou tratar-se de uma informação falsa. “Vê-se que não têm mais nada com que implicar porque têm de inventar coisas como estas”, comentou na altura Donda, acrescentando que era “muito evidente” que não se tratava de um retrato seu.

A política comentou o caso na sua conta do Twitter, partilhando o artigo do Chequeado:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A imagem não terá desaparecido das redes sociais após a publicação do fact check do Chequeado. Quatro meses depois, o jornal argentino Clarín analisou o mesmo conteúdo e chegou à mesma conclusão: “Não, não é Victoria Donda a mulher que está a consumir cocaína numa fotografia viral”. Por essa altura, a fotografia já tinha chegado a Espanha, onde tinha sido associada a outras alegadas deputadas de esquerda, como Ana Ronda, que seria do Ciudadanos, e Vicki Donda, supostamente do Podemos. Esta informação foi desmentida por vários sites espanhóis de verificação de notícias, como o Newtral, que concluiu que não existia qualquer deputada chamada Ana Ronda. Contactado pela página de fact check, o Ciudadanos confirmou que a mulher da fotografia não pertencia ao partido.

Victoria Donda comentou também no Twitter a utilização da imagem em Espanha para “atacar o Podemos”. “As fontes das mentiras da direita atuam de forma coordenada a nível internacional”, defendeu.

Vicki Donda apareceu também no México em 2019, onde foi associada ao Morena, o partido do Presidente Andrés Manuel López Obrador, que ocupa o cargo desde 2018. O Morena é também de um grupo partidário de esquerda, fundado em 2011. Aqui, como em todas as outras publicações, a imagem foi usada para exemplificar os supostos maus hábitos das deputadas de esquerda e para denegrir a sua imagem. E também aqui se concluiu que não existia uma deputada com o nome referido. A imagem voltou muito recentemente a ser associada no México a Vicki Donda. Em maio de 2020, a informação foi verificada pelo AFP Factual, que chegou (mais uma vez) à conclusão de que o nome não integra a lista dos militantes do Morena ou dos cerca de 300 deputados e senadores que fazem parte do Congresso mexicano desde 2018.

A imagem da mulher a consumir drogas num telemóvel, que atravessou fronteiras e chegou a países como Brasil, Argentina, Paraguai, Espanha, Portugal e Estados Unidos da América, parece ter origem em páginas humorísticas, onde circula, pelo menos, desde 2016. Uma pesquisa no Google Imagens permite concluir isso mesmo — é em sites de memes, e também em páginas de verificação de notícias falsas, que a fotografia aparece com mais frequência. O Newtral sugeriu que a imagem se terá tornado viral em 2018, quando começou a ser partilhada com maior regularidade. A maioria dos fact checks são de 2019, quando a fotografia parece ter chegado também a Portugal, tendo sido recentemente recuperada.

Conclusão

A fotografia não mostra a política argentina Victoria Donda. A própria desmentiu a informação em 2019, quando a imagem, que parece ter origem em páginas humorísticas, começou a inundar as redes sociais de vários países, incluindo Portugal, em associação a Donda ou a outras alegadas deputadas de esquerda, muitas vezes com nomes fictícios. Ao contrário do que é sugerido pela legenda, Donda não tem qualquer ligação com o partido brasileiro Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

Assim, de acordo com a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

IFCN Badge