E Tudo o Vento Levou” , de 1939, conquistou oito óscares, incluindo o primeiro de sempre atribuído a um ator negro — Hattie McDaniel foi considerada Melhor Atriz Secundária graças ao papel em que desempenhou a personagem Mammy. Segundo um post viral no Facebook, “o filme acaba de ser eliminado da plataforma da HBO Max por ser politicamente incorreto. A grande conquista da atriz negra acaba de ser eliminada da história”. Esta informação é enganadora. O projeto foi retirado do catálogo, é verdade, mas apenas temporariamente.

Uma das publicações que sugere que o filme “E tudo o Vento Levou” foi eliminado definitivamente

Tal como o Observador noticiou a 10 de junho, a WarnerMedia (multinacional que detém a HBO Max) decidiu eliminar de forma temporária “E Tudo o Vento Levou” da plataforma de streaming para que lhe fosse acrescentada uma contextualização histórica.

“Estas representações racistas eram erradas naquela época e são erradas hoje, e achamos que manter este filme [disponível na plataforma] sem uma explicação e uma denúncia dessas representações seria irresponsável”, comunicou a empresa, citada pela agência Associated Press.

Há anos que o filme era criticado mas a decisão aconteceu depois de o jornal “Los Angeles Times” ter publicado um artigo de opinião  de John Ridley, no qual o argumentista de “12 Anos Escravo” pedia que o filme fosse eliminado da plataforma de streaming por “perpetuar estereótipos racistas e glorificar o sul antes da guerra [civil]”.

De acordo com Sandra Dewey, presidente da área de negociações e produção da HBO Max, tudo está a ser avaliado ao pormenor antes de “E Tudo o Vento Levou” voltar a ficar disponível. “Estamos a ser lentos e cuidadosos e penso que é a resposta correta. Será representado, mas com contexto e enquadramento”, disse à revista “Variety”.

Jacqueline Stewart, professora na Universidade de Chicago e apresentadora do programa “Silent Sunday Nights” (do canal TCM), será a responsável por uma introdução que vai “posicionar o filme nos seus múltiplos contextos históricos”. Ainda não há data para a estreia da nova versão que não irá, apesar da discussão atual, retirar nenhuma cena do filme original.

“Será apresentado como foi originalmente criado porque fazer o contrário seria o mesmo que dizer que estes preconceitos nunca existiram”, explicou um representante do canal. “Se queremos criar um futuro mais justo, equitativo e inclusivo, temos de, primeiro, reconhecer e entender a nossa história”, acrescentou. Porém, em Portugal, não será possível ter acesso a este conteúdo. A HBO Max só está disponível nos Estados Unidos da América e em alguns territórios sob o seu domínio.

“E Tudo o Vento Levou” passa-se numa plantação nos arredores de Atlanta, EUA, após a Guerra Civil norte-americana. Acompanha a história de amor entre a filha do dono da herdade, Scarlett O’Hara (interpretada por Vivien Leigh), e um aristocrata do sul, Rhett Butler (Clark Gable). Nos Óscares esteve nomeado em 13 categorias (venceu oito) e é, até hoje (ajustado à inflação), o filme mais rentável de sempre.

Conclusão

“E Tudo o Vento Levou” não foi retirado definitivamente do catálogo da HBO Max. O filme deixou de estar disponível temporariamente para que lhe seja acrescentada contextualização histórica. Assim que essa introdução estiver concluída, o projeto voltará a poder ser visto no seu formato original. Nenhuma cena será cortada. Logo no dia em que foi noticiada a retirada, foi dada a informação que seria apenas temporariamente, mas várias publicações insistiram que seria eliminada definitivamente, o que é falso.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ENGANADOR

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge