Uma publicação colocada a 17 de abril na página de Facebook “Gentes de Almada” afirma que foram libertados crocodilos no Parque da Paz e nas praias da Caparica, em Almada. “Não temos a atual localização de nenhum deles”, avisa a mensagem, acrescentando que os mesmos crocodilos “andam por aí à solta e podem atacar a qualquer altura”.

Colocada nas redes sociais em pleno estado de emergência decretado em Portugal por causa da pandemia de Covid-19, a mensagem pode ser lida como um apelo aos “visitantes e veraneantes” para que fiquem em casa e “evitem o concelho de Almada nos próximos tempos” — como procede a publicação. No entanto, em momento algum a mensagem explica que se trata de uma brincadeira, deixando alguns utilizadores na dúvida. A publicação tem por base um alerta real: serve para reforçar o apelo para que as pessoas não se desloquem a estes sítios com a chegada do bom tempo e do sol, mas fá-lo recorrendo a uma imagem e informação falsa.

Os comentários permitem apurar que a maior parte das pessoas percebeu que a mensagem era anedótica, usava o humor para fazer passar um alerta real, mas outros membros do grupo “Gentes de Almada” acreditaram na libertação de crocodilos e centenas partilharam a mensagem nas suas contas de Facebook.

A publicação que foi feita com um alerta real, mas recorrendo a uma imagem e texto falso

O Observador questionou a Câmara Municipal de Almada sobre este assunto, para ver como reagia às informações sobre uma alegada libertação de crocodilos na autarquia. E a mensagem não deixa margens para dúvidas: nem a Câmara, nem qualquer outra entidade libertou estes ou outros animais selvagens na cidade. Não era verdade que estes animais estivessem de facto nos sítios identificados na publicação.

“A Câmara Municipal de Almada, percebendo o intuito irónico da publicação para garantir o dever de recolhimento, informa que a mesma não corresponde, obviamente, à realidade e apela à não proliferação de notícias/informações falsas”, respondeu fonte oficial da autarquia ao Observador.

Se havia algum leitor que pudesse ter ficado com alguma dúvida sobre a existência de crocodilos ou não naqueles dois sítios, a Câmara Municipal esclareceu-as. Tratava-se de uma publicação que usou o humor para fazer um apelo real: o de que as pessoas devem permanecer em casa e não encher as praias ou o parque com a chegada do bom tempo.

Conclusão

A publicação, partilhada mais 350 vezes no Facebook, é falsa. Nem a autarquia nem outra entidade libertaram animais selvagens na cidade. Por isso, se mora em Almada e precisar de sair para ir ao supermercado ou passear o cão, pode fazê-lo sem receio de se cruzar com estes “bichinhos” — a expressão usada pelo autor da publicação para fazer referência aos crocodilos. O conselho, no entanto, mantém-se o mesmo: para se proteger e proteger os outros do novo coronavírus, o melhor é mesmo ficar em casa. A publicação tem, por isso, um alerta real na génese: a chegada do bom tempo não deve levar as pessoas à praia ou ao parque, devem permanecer em casa.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador este conteúdo é:

ERRADO

De acordo com a classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge