A31 de maio surgiu começou a circular uma fotografia no Facebook com a seguinte legenda: “Imagens da ‘luta contra o racismo’”. A imagem contém vários cidadãos afro-americanos a sair de uma loja, com alguns produtos na mão, dando a ideia de que se trata de um dos múltiplos saques reportados nos Estados Unidos da América, a par dos protestos mais violentos que explodiram na última semana. Na base destes protestos estava a morte, por asfixia, de George Floyd, graças a uma detenção violenta em Minneapolis. Esta publicação chegou às 59,2 mil visualizações e teve 1,5 mil partilhas. No entanto, é enganadora.

Uma das publicações partilhada em 2020, sugerindo que o momento ocorreu nos protestos nos últimos dias

Os Estados Unidos da América estão a viver um período que se pauta pelos inúmeros protestos que têm surgido contra o racismo, um pouco por todo o país — além de serem o país que regista mais mortes por Covid-19 no mundo (107.352 até ao momento, segundo dados da WorldMeters). O presidente norte-americano, Donald Trump, avisou que iria chamar o exército para tomar conta da onda de protestos que se regista um pouco por todo o país. É, por isso, um terreno fértil para a disseminação de informações falsas nas redes sociais.

Utilizando a ferramenta Tineye, que nos diz qual a fonte de uma determinada fotografia, é possível perceber que a imagem da publicação não retrata os saques que têm sido reportados nos EUA, nos últimos dias. Fazem parte de um protesto, sim, mas não está relacionado com a recente morte de George Floyd.

Depois de o Observador ter pesquisado qual era a fonte da imagem, concluiu que dizia respeito a protestos semelhantes aos que vemos hoje, mas que reportam a 2015, e que ocorreram em Baltimore (e não em Minnesota), depois da morte de outro cidadão negro às mãos da polícia, Freddie Gray, que sofreu lesões durante a sua detenção, como descreve o The Washington Post. Uma semana depois da detenção, Gray morreria no hospital. A fotografia em questão foi tirada por Jerry Jackson,

do Baltimore Sun, e publicada numa secção chamada “Darkroom”, como é referido numa galeria do jornal norte-americano. Ou seja, apesar da semelhança entre as situações (ambas resultam de protestos contra mortes violentas de cidadãos afo-americanos às mãos da polícia), a fotografia não é de agora. Ao publicar esta fotografia agora, o autor sugere que representa os atuais protestos que estão a decorrer atualmente do outro lado do Atlântico, induzindo assim os outros utiliadores em erro.

Conclusão

Começou a circular uma fotografia  no Facebook, que tinha a seguinte legenda: “Imagens da ‘luta contra o racismo’ ”. A imagem contém vários cidadãos negros a sair de uma loja, com alguns produtos na mão, dando a ideia de que se trata de um dos múltiplos saques reportados nos Estados Unidos da América, fruto dos protestos mais violentos que explodiram depois da morte, por asfixia, de George Floyd. As imagens do polícia norte-americano que matou o afro-americano com o joelho foram amplamente partilhadas nas televisões e redes sociais e depressa levaram a várias manifestações públicas e protestos.

No entanto, a fotografia não é de agora, mas sim dos protestos de 2015, depois da morte de outro cidadão negro, Freddie Gray.  A fotografia em questão foi tirada por Jerry Jackson, do Baltimore Sun, numa secção chamada “Darkroom”, como referido numa galeria do jornal norte-americano. Por isso, sim, as imagens representam a luta contra o racismo, mas não são atuais, como sugere a publicação do Facebook. Foi tirada há cinco anos.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ENGANADOR

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge