A imunização contra a Covid-19 na Argentina começou com a aplicação de duas doses da vacina Sputnik V no mesmo homem em braços diferentes — é isso que alega um post partilhado nas redes sociais em Portugal que reproduz duas fotografias que supostamente mostram um indivíduo a receber a vacina duas vezes na mesma ocasião. As imagens têm sido também partilhadas por utilizadores na Argentina, Brasil e Espanha, sempre acompanhadas por uma legenda que sugere que uma pessoa foi vacinada duas vezes. Nalgumas publicações, refere-se que a vacina utilizada foi a chinesa CoronaVac, quando a vacinação arrancou com a russa Sputnik V.

A publicação que circula no Facebook

A primeira fase da imunização contra a Covid-19 arrancou na Argentina no passado dia 29 de dezembro, com a vacinação dos profissionais de saúde. O primeiro lote de vacinas Sputnik V (300 mil doses de um total de 25 milhões) chegou ao país na semana do Natal, com a Argentina a tornar-se no primeiro país a usar a vacina desenvolvida pela Rússia na população. A vacinação irá continuar ao longo deste mês de janeiro e em fevereiro, estando prevista a chegada de mais 20 milhões de doses que serão usadas em profissionais de saúde e nas forças de segurança, explicou na altura o G1. O governo espera conseguir vacinar toda a população até ao outono.

A campanha de imunização foi lançada no Hospital Regional Dr. Enrique Vera Barros, na cidade de La Rioja, no norte do país, e contou com a presença da vice-governadora da região, Florencia López. A primeira pessoa a ser vacinada foi o presidente do Comité de Crise do hospital, Rafael Fernandéz, o homem vestido de amarelo que surge nas fotografias divulgadas nas redes sociais.

Estas foram captadas pelo gabinete de comunicação do governo de La Rioja e partilhadas por este e pelo ministro da Saúde da região, Juan Carlos Vergara. Em resposta aos comentários dos utilizadores, o governo lamentou no Twitter que num “dia tão importante para os argentinos” se especulasse sobre a vacinação. “Para evitar afirmações erradas, explico que uma das fotografias foi tirada apenas os meios de comunicação para assim libertar o local como exigem os protocolos.” Após esse momento, ficou apenas um único fotógrafo no local, responsável por acompanhar o resto da vacinação.

A maioria dos utilizadores não ficou satisfeita com os esclarecimentos do governo de La Rioja, acusando as autoridades de não terem mantido o distanciamento necessário, de terem montado um “circo” e até de terem utilizado um ator para encenar a vacinação, o que não é verdade.

O momento da imunização de Rafael Fernandéz foi captado em vídeo pelo Hospital Regional Dr. Enrique Vera Barros e partilhado no Facebook. Este mostra o preciso momento em que o presidente do Comité de Crise recebeu a vacina e é possível ver a agulha a entrar na pele do seu braço direito, o que significa que a fotografia encenada pelo gabinete de comunicação é a primeira do post, na qual Fernandéz e um enfermeiro aparecem junto a um grupo de responsáveis, entre eles Florencia López. Segundo fontes ouvidas pelo jornal argentino La Nácion, o objetivo desta fotografia foi precisamente incluir a vice-governadora e outros funcionários que estavam presentes.

A encenação foi filmada pelo jornalista Stefano Tete Vigna, que acompanhou o início da campanha, e publicada por este na sua conta no Twitter.

A história das duas vacinações foi desmentida pelo próprio Rafael Fernandéz. Numa publicação do Facebook, que já não se encontra disponível mas que é citada por vários jornais argentinos e reproduzida pelo espanhol Maldita, o médico esclareceu que não foi vacinado duas vezes. “Havia um aglomerado importante de pessoas que queriam participar nesta primeira vacinação e para maior comodidade da imprensa decidiu-se mudar de lugar e de braço. (…) Não sejam maliciosos nas interpretações”, apelou. Contactado pelo jornal argentino La Nácion, o responsável repetiu a mesma história e garantiu que só recebeu uma dose da Sputnik V. “Havia demasiada gente presente e, a pedido da imprensa, mudou de lugar. Foi isto que aconteceu”, afirmou.

Conclusão

A campanha de imunização contra a Covid-19 na Argentina não arrancou com a aplicação de duas doses da vacina na mesma pessoa. As duas fotografias que circulam nas redes sociais mostram momentos diferentes: a primeira, em que o homem surge junto a um grupo de responsáveis, trata-se de uma encenação feita para a imprensa por razões de comodidade (estava demasiada gente dentro do mesmo espaço); a segunda, mostra o momento real da vacinação. Um vídeo da imunização de Rafael Fernandéz, presidente do Comité de Crise do Hospital Regional Dr. Enrique Vera Barros, em La Roija, e o homem nas fotografias, foi disponibilizado no Facebook pelo estabelecimento hospitalar.

Assim, de acordo com a classificação do Observador, este conteúdo é:

 ERRADO

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

IFCN Badge