É por pouco, mas a alegação não deixa de ser falsa. Uma publicação que corre o Facebook alega que Israel é o único país do mundo que possui serviço militar obrigatório para mulheres. O serviço militar obrigatório para os dois sexos naquele estado é conhecido mundialmente e existe desde a fundação do país, em 1949, mas, ao contrário do que postou o utilizador da rede social, não é caso único no mundo.

Começando por Israel: todos os cidadãos israelitas, homens e mulheres, e que sejam judeus, estão obrigados, quando completam 18 anos, a prestar serviço militar. Os árabes estão dispensados do serviço militar. Em 2020, o tempo normal de serviço militar obrigatório em Israel era de dois anos e meio para os homens e de dois anos para as mulheres. Em ambos os casos, o posto e a responsabilidade podem obrigar a mais tempo de tropa, respetivamente de quatro e oito meses adicionais.

Outra nação onde o serviço militar é obrigatório para ambos os sexos é, sem surpresa, a Coreia do Norte: o estado altamente militarizado da dinastia Kim exige que homens e mulheres sejam chamados a defender a pátria. Há diferenças no serviço a que uns e outros estão obrigados. Os jovens norte-coreanos do sexo masculino são incorporados aos 17 anos e têm de cumprir 10 anos de serviço militar. Já as norte-coreanas são chamadas após completarem o ensino secundário, cumprindo o serviço militar até à idade de 23 anos.

A publicação tem estado a correr a rede social

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O tempo de serviço militar exigido pelo regime de Pyongyang parece brincadeira de criança se comparado com o que acontece na Eritreia. O autocrático estado africano, independente desde 1993, quando se separou da Etiópia, é um dos países mais fechados e repressivos do mundo, com o serviço militar a ser utilizado como forma de controlo sobre os seus cidadãos.

Oficialmente, os recrutas, homens e mulheres, devem cumprir no mínimo 18 meses, incluindo seis meses de treino militar e 12 meses de serviço ativo. Na prática, esse período pode ser estendido indefinidamente durante alturas de “crise nacional”. É o que tem acontecido desde 1998, sendo que todos os cidadãos com menos de 50 anos podem ter que prestar serviço militar até serem dispensados, o que pode depender da decisão arbitrária de um comandante. A incerteza relativamente à duração do serviço militar é uma das principais razões que leva, todos os anos, milhares de jovens a fugir do país.

Outro caso: a Noruega entrou para a história em 2013 ao tornar-se no primeiro país da Europa e da Nato a instituir o serviço militar obrigatório quer para mulheres quer para homens. No entanto, a obrigação é apenas teórica: só têm de servir nas forças armadas os cidadãos e cidadãs que estejam motivados para tal. O país nórdico possui, ainda assim, uma unidade formada apenas por mulheres, a Jegertroppen, constituída em 2014.

Conclusão:

Falso. Ao contrário do que alega o post no Facebook, há mais nações em que as mulheres são também obrigadas a cumprir serviço militar obrigatório. É o caso da Coreia do Norte, onde os jovens do sexo masculino são incorporados aos 17 anos, cumprindo 10 anos de serviço militar, enquanto as norte-coreanas são chamadas após completarem o ensino secundário, cumprindo o serviço militar até à idade de 23 anos. Já na Eritreia, os recrutas, homens e mulheres, devem cumprir no mínimo 18 meses, incluindo seis meses de treino militar e 12 meses de serviço ativo, mas, na prática, o serviço pode ser estendido indefinidamente.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge