O post tem uma semana e desde que foi publicado no Facebook gerou quase 30 mil visualizações e quase mil partilhas. A legenda “assinando folhas em branco” acompanha um vídeo do novo presidente dos EUA, Joe Biden, sentado à sua secretária na Sala Oval da Casa Branca enquanto assina as primeiras ordens executivas, depois de tomar posse. Nesta versão do vídeo, de qualidade inferior, não são visíveis os textos referentes às ordens executivos — e vários internautas aceitaram a ideia de que Biden se limitava a ler um papel em branco que, depois, assinava.

São uns curtos 42 segundos de vídeo. Já com uma das ordens executivas assinadas — aquela que determina o uso obrigatório de máscara em território e em edifícios federais e o cumprimento das distâncias de segurança —, Joe Biden explica o conteúdo dos dois documentos que assina de seguida. O primeiro diz respeito ao apoio, no âmbito da pandemia, a comunidades particularmente carenciadas do país. O segundo não tem menos peso simbólico: trata-se da decisão dos EUA de voltar a aderir ao Acordo de Paris e às metas ambientais de que o país se tinha afastado no mandato de Donald Trump.

São documentos assinados três horas depois de Biden tomar posse como 46º sexto presidente dos EUA, num conjunto de 16 ordens executivas e dois memorandos. Ora, de facto, no vídeo em questão não é possível ver senão duas folhas em branco pelas quais Joe Biden passa os olhos, dando uma breve explicação sobre o seu conteúdo, antes de as assinar. Mas isso não significa que as folhas estejam, efetivamente, em branco.

Mas num vídeo com maior resolução, disponibilizado pela própria Casa Branca, rapidamente se comprova que as ordens executivas estão preenchidas e que a assinatura de Joe Biden passa a constar dos vários documentos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Num outro vídeo, desta vez produzida pela agência AFP, também se percebe que a alegação não tem fundamento: as ordens executivas eram reais.

Regresso à OMS e a Paris, fim do muro com o México e máscaras. As primeiras 17 decisões de Joe Biden

Nos dias seguintes, mais ordens executivas haveriam de ser assinadas por Joe Biden. Na verdade, nos três primeiros dias em funções, depois de tomar posse, o presidente dos EUA assinou cerca de os primeiros três dias enquanto Presidente, Joe Biden assinou 30 ordens executivas — das quais 10 são reversões diretas de decisões de Donald Trump e várias outras têm como efeito prático inverter o rumo do antecessor em diversas áreas de atuação política, 10 das quais representando uma reversão direta e imediata do seu antecessor no cargo.

Conclusão

Não é verdade que Joe Biden tenha assinado documentos em branco. O momento em que o 46º presidente dos EUA assinou as primeiras ordens executivas foi acompanhado por vários órgãos de comunicação social. Trata-se, simplesmente de um vídeo de menor qualidade em que não é visível o contraste entre o papel branco e as letras que dão corpo às ordens de Biden.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

NOTA: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook

IFCN Badge