Há uma história a circular no Facebook que elogia uma das mais recentes escolhas de roupa de Melania Trump. Numa cerimónia do Dia da Independência nos Estados Unidos da América, que se comemora a 4 de julho, a primeira-dama usou um vestido que teria desenhos alusivos a histórias de crianças, vítimas de abusos sexuais. Esta versão é falsa.

A publicação que alega que o vestido de Melania está decorado com desenhos de crianças, vítimas de abuso

Quando Melania Trump foi fotografada a caminho de Mount Rushmore (o memorial que tem esculpidas as caras de quatro antigos presidentes norte-americanos), para uma celebração que aconteceu a 3 de julho, véspera do feriado nacional norte-americano, começaram as piadas nas redes sociais. “Donald Trump ficou aborrecido e riscou todo o vestido branco da Melania com um marcador no Air Force One”, escreveu uma utilizadora no Twitter, ou “aparentemente, o Trump tentou desenhar o percurso de um furacão no vestido da Melania”, afirmou outra, fazendo uma alusão a um incidente ocorrido em setembro de 2019, no qual o presidente dos Estados Unidos apresentou um mapa sobre as características do furacão Dorian, que parecia ter sido corrigido com uma caneta.

Depois surgiu uma explicação para o vestido. De acordo com os posts que começaram a circular no Facebook, a primeira-dama estaria a tentar chamar a atenção para uma questão séria, já que os desenhos no vestido teriam sido feitos por crianças vítimas de tráfico humano e de abusos sexuais, dizem as publicações, em inglês, mais completas do que a versão em português.

As partilhas identificam o estilista Alexander McQueen como responsável pela peça de roupa e esse é o único detalhe verdadeiro. A 21 de março, a marca britânica fez uma publicação no Facebook e explicou a origem do padrão. “Os esboços contínuos e espontâneos de raparigas a dançar, feitos por alunos de mestrado da [escola] Central Saint Martins, criados durante uma aula de desenho sobre a vida que aconteceu no espaço educacional Alexander McQueen, em Londres, são a fonte destes motivos”, diz a publicação.

A round-neck dress with an asymmetric draped skirt in ivory Irish linen with dancing girls hand embroidery.The…

Posted by Alexander McQueen on Saturday, March 21, 2020

Em nenhum momento são referidas histórias de crianças abusadas, nem nas redes sociais da casa de alta-costura, nem num artigo publicado pela “Vogue” em outubro de 2019. Na altura, a revista acompanhou todo o processo criativo de Ophelia (o nome da peça), desde a origem da parceria entre a escola e a marca, dos primeiros rabiscos à impressão do padrão, passando pela escolha do tecido.

Um dos alunos envolvidos nos desenhos também contou como tudo começou numa aula de ilustração promovida por Julie Verhoeven, designer e ilustradora. “A aula era para não desenharmos a partir da nossa cabeça, mas sim para sentirmos liberdade durante o processo. Quando trabalhamos tanto, podemos esquecer-nos de sermos livres, de correr riscos e falhar. Portanto, foi para abrirmos a nossa mente a isso”, explicou Paolo Carzana ao site da University of the Arts de Londres.

O vestido, agora celebrizado por Melania Trump, faz parte da coleção primavera/verão, custa 2990€, mas encontra-se atualmente esgotado na loja oficial da Alexander McQueen.

Conclusão

Melania Trump não usou um vestido com desenhos baseados em histórias de crianças abusadas sexualmente. A peça faz parte da coleção primavera/verão da marca Alexander McQueen e as ilustrações foram criadas por alunos de um mestrado. Representam raparigas a dançar.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge