Já se tornou um hábito procurar paralelismos entre a série de animação norte-americana “Simpsons” e a vida real. Exemplos como a compra da 20th Century Fox pela Disney, a corrupção na FIFA, o escândalo de espionagem da NSA ou até a eleição presidencial de Donald Trump, retratados satiricamente pelos Simpsons vários anos antes de acontecerem verdadeiramente, sugeriam que os episódios da série são capazes de prever o futuro.

Agora, perante a pandemia provocada pela disseminação do novo coronavírus — que até ao fim da tarde deste sábado já tinha afetado mais de 155 mil pessoas em todo o mundo, incluindo 169 em Portugal —, surgiu nas redes sociais um conjunto de imagens manipuladas. Sugeriam que a série já tinha previsto o surto num episódio da quarta temporada, emitido em 1993.

O Observador já escreveu sobre estas imagens em fevereiro, demonstrando claramente que são manipuladas. Perante a continuada disseminação da montagem nas redes sociais (a imagem abaixo foi partilhada na última quinta-feira), importa explicar detalhadamente a falsidade da informação.

Publicação na página “Saudades do meu tempo de escola”

A montagem que tem sido partilhada nas redes sociais inclui quatro fotogramas retirados de dois episódios distintos. As três primeiras são retiradas do episódio “Marge in Chains“, o 21.º da quarta temporada da série, emitido em maio de 1993. Numa das cenas, é possível ver o protagonista da série, Homer Simpson, encomendar um “Juice Loosener“, que vem da cidade japonesa de Osaka.

Um dos trabalhadores responsáveis pelo empacotamento do produto espirra para dentro das caixas e um “vírus” fica no interior das embalagens, sendo libertado já na cidade de Springfield por várias personagens da série, que recebem as encomendas.

A quarta imagem, porém, é retirada do episódio “The Fool Monty“, o sexto da 22.ª temporada, emitido em novembro de 2010. Este episódio, mais recente, conta a história de um esquema montado por um conjunto de estações de televisão para inventar uma epidemia — a “gripe do gato doméstico” — com o objetivo de assustar as populações e de as obrigar a ver televisão para procurar informação sobre a doença.

Numa das cenas desse episódio, é possível ver o jornalista Kent Brockman, famoso pivô dos telejornais da série, a noticiar o surgimento da epidemia. Na imagem, à direita do jornalista, surge um quadrado com as palavras “Apocalypse Meow”. Foi por cima deste fotograma que foi feita uma manipulação de imagem, colocando a palavra “coronavírus” por cima da expressão original.

Esta é a versão original da imagem na série

Conclusão

A série “Simpsons” não previu em 1993 o surto de coronavírus que está a afetar o mundo em 2020. A montagem que está a circular nas redes sociais junta imagens de dois episódios distintos, procura evidenciar de forma abusiva a origem asiática do vírus (embora a série se refira à cidade japonesa de Osaka e o coronavírus tenha surgido na cidade chinesa de Wuhan) e recorre à manipulação de imagem para inserir a palavra “coronavírus” onde ela nunca esteve escrita.

Segundo o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge