A comparação foi feita por Vitorino Silva, que se apresenta como “calceteiro de Rans”, no frente-a-frente com Ana Gomes, no debate da RTP desta quarta-feira: “A Rainha de Inglaterra está há 70 anos no poder, não tem o nono ano, não tem o sexto, foi mecânica na II Guerra Mundial.”

De facto, no sentido literal, a Rainha Isabel II não “tem” o nono ano. Também não “tem” o sexto ano de escolaridade regular e frequentado pela generalidade dos cidadãos britânicos. “Ela não frequentou a escola como qualquer outro candidato presidencial em Portugal” poderá ter feito, explica, em declarações ao Observador, Penny Junor, jornalista e biógrafa da família real britânica. “Mas não faz sentido nenhum tentar uma comparação nestes termos”, acrescenta.

Até perto de Isabel II completar os 7 anos de idade, a sua educação não foi uma preocupação prioritária para a família real. Só quando o pai, Jorge VI, é chamado a assumir a chefia do Estado britânico, após a renúncia do irmão, a família real se confronta com a forte possibilidade de Isabel II poder vir a suceder-lhe no trono.

“Então, passou a dedicar-se mais atenção” a esse lado da formação da futura rainha, com “grande ênfase nas áreas de História e de Francês” com um vasto número de tutores franceses e belgas, explica Junor. O site da família real britânica refere também a formação em “História Constitucional” e em “Direito, como forma de se preparar” para as funções que viria a assumir com pouco mais de 20 anos. Além disso, recebeu formação, em sessões privadas, de Henry Marten, vice-reitor de Eton — uma das mais prestigiadas instituições académicas do Reino Unido. Teve ainda formação em Religião com o Arcebispo de Cantuária, líder do clero da Igreja Anglicana. O mesmo site faz também referência à formação em “arte e música”, equitação e desporto.

Família real britânica. Afinal, para que servem estas pessoas?

“Depois de o pai se tornar rei, percebeu-se que ela não ia ser apenas uma mulher e uma mãe, ia ser a soberana. E era importante que fosse bem formada. Por isso, teve alguns dos melhores professores do país”, resume Penny Junor. “Temos de lembrar-nos que a Rainha tem 94 anos e que, no tempo em que era uma criança, não era incomum que as crianças e jovens do seu meio recebessem formação privada”, assinala a biógrafa da família real britânica. “A Rainha recebeu uma boa formação, não é muito culta — nisso, o Príncipe Carlos é mais culto, até pela educação que recebeu”, com a frequência do colégio de Gordonstoun, primeiro, e da Universidade de Cambridge, mais tarde. “Mas ela foi bem preparada para as funções que teve de assumir”, entende a biógrafa.

Conclusão

É verdade que Isabel II não completou o 9.º ano de escolaridade formal nem, sequer, o 6.º. Mas isso deve-se ao tipo de educação que a então futura herdeira do trono britânico recebeu. Como muitas crianças do meio social aristocrático, recebeu formação em casa. E, depois de se tornar claro que sucederia ao pai, foi formada por alguns dos melhores professores do país.

Assim, e de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ESTICADO

IFCN Badge