Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1 A metade do país que mora à direita do PS saiu com pouco tecto e chão movediço destas eleições. Entre o desastre e a abstenção conclui-se que talvez mais de dois milhões de portugueses não tenha quem os represente politicamente.

O PSD? Não me parece. O CDS? Está em extinção. A Iniciativa Liberal? Seduz mas precisa de tempo e assinatura. O Chega? Melhor não embora atraia. Marcelo? Nunca esteve para aí virado (só se não vier a ter outro remédio, devido ao lugar político onde vai querer deixar os seus).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.