Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“A União Ibérica não é actualmente o programa de nenhum dos partidos espanhóis, mas é o instinto de todos”, escreveu Oliveira Martins.  Mas o grande historiador, autor de uma épica Vida de Nun’Álvares – o refundador de Portugal e o homem das formas superiores de luta da guerra da independência –, também teve as suas tentações iberistas. Tal como Eça, Antero, Latino Coelho ou Lopes de Mendonça; todos intelectuais, embora Martins fosse também político e até, por breve tempo, Ministro da Fazenda, ou seja, das Finanças.

O crepúsculo do Iberismo

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.