Logo Observador
Orçamento do Estado

São 30 simulações e uma delas será o seu caso. Veja quanto vai pagar de IRS em 2016

238

Com medidas como a substituição do quociente familiar por deduções fixas e a atualização dos escalões em 0,5%, vai pagar mais ou menos IRS? Consulte as 30 simulações e fique a saber.

A substituição do quociente familiar, tema que provocou divisões e polémica entre o Governo liderado por Pedro Passos Coelho e a oposição, pelo regresso às deduções à coleta fixas é uma das medidas de maior impacto junto dos contribuintes que estão sujeitos a imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS). Estas deduções passam a ser de 550 euros e 525 euros para dependentes e ascendentes, respetivamente.

As taxas de IRS mantêm-se em 2016, de acordo com a proposta de Orçamento do Estado para 2016, e a tabela é atualizada em 0,5%. Nas despesas de saúde e de educação, o Fisco vai passar a aceitar a dedução de gastos realizados fora do território nacional, desde que estas despesas sejam comunicadas junto do portal E-fatura. Também as deduções à coleta por cada dependente ou ascendente com deficiência são alvo de melhores condições. Passam de 1,5 vezes o Indexante dos Apoios Sociais para 2,5 vezes sobre o valor daquela referência, o que equivale a 1.048,05 euros.

Com estas mudanças, como vão ficar os seus rendimentos? Vai receber mais em 2016 por via das alterações no IRS? Consulte as 30 simulações elaboradas pela consultora PwC, procure o caso que se assemelha ao seu e encontre a resposta.

O que sucede com os contribuintes casados ou em união de facto

Caso 1

tabela_01

Caso 2

tabela_02

Caso 3

tabela_03

Caso 4

tabela_04

Caso 5

tabela_05

Caso 6

tabela_06

Caso 7

tabela_07

Caso 8

tabela_08

Caso 9

tabela_09

Caso 10

tabela_10

Caso 11

tabela_11

Caso 12

tabela_12

Caso 13

tabela_13

Caso 14

tabela_14

Caso 15

tabela_15

O que sucede com os contribuintes solteiros

Caso 1

tabela_16

Caso 2

tabela_17

Caso 3

tabela_18

Caso 4

tabela_19

Caso 5

tabela_20

Caso 6

tabela_21

Caso 7

tabela_22

Caso 8

tabela_23

Caso 9

tabela_24

Caso 10

tabela_25

Caso 11

tabela_26_2

Caso 12

tabela_27_2

Caso 13

tabela_28_2

Caso 14

tabela_29_2

Caso 15

tabela_30_2

Simulações elaboradas pela PwC
Arte: Milton Cappelletti

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Economia

A vida para além do défice

Helena Garrido
181

Mário Centeno é o único ministro que pode ir de férias convencido que cumpriu a sua missão. O terrível mês de Julho impediu o Governo de festejar a vitória na economia mas fez história.

Orçamento do Estado

Cativações: pecado e redenção

Joana Vicente

O recurso sistemático às cativações tem funcionado como uma ferramenta de não-gestão orçamental. O atual Governo, a bem dos objetivos orçamentais, tem sido o maior pecador cativador. 

Governo

A política do caminho caminhando

Helena Garrido
724

As políticas públicas têm hoje a marca do caso a caso, sem estratégia, só com táctica. A forma como se reduziu o défice é um bom exemplo. Irónico até, por parecer confirmar a austeridade expansionista

Orçamento do Estado

A vida para além do défice é o SIRESP

Luís Aguiar-Conraria
839

Nas PPP à portuguesa, o Estado, em vez de levar para a mesa das negociações a sua capacidade de financiamento a baixo custo, leva a sua incapacidade, ficando refém do financiamento do parceiro privado