Logo Observador
Zona Euro

Costa responde a Schäuble: “Contra factos não há argumentos”

445

Primeiro-ministro responde com dados económicos positivos ao aviso de Schäuble a Portugal, de que se deve certificar que não tem novo resgate. Costa diz que contra factos, não há argumentos.

JOSÉ COELHO/LUSA

O primeiro-ministro respondeu esta quarta-feira com dados económicos positivos da economia portuguesa, salientando que “contra factos não há argumentos”, depois de o ministro das Finanças alemão ter dito que Portugal se deve certificar da não necessidade de um novo resgate.

Ministro alemão Schäuble faz “aviso” a Portugal: “Certifiquem-se de que não precisam de resgate”

“Os números são simples: 2,1% de défice, o melhor em 42 anos de democracia, 2% de saldo primário positivo, diminuição de um ponto da dívida líquida, estabilização da dívida bruta e começo da redução, estabilização do sistema financeiro, criação de 118 mil postos de trabalho líquidos. Estes são os números. E contra factos não há argumentos”, declarou António Costa.

O primeiro-ministro respondia aos jornalistas, no Porto, à saída da cerimónia de inauguração do Centro Tecnológico da Euronext, que vai criar 120 postos de trabalho.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, disse hoje que Portugal se deve certificar de que “não precisa” de um resgate e lembrou que a pressão imposta pelos planos de resgate “funcionou bem”.

“Certifiquem-se de que não precisam de resgate”, disse o ministro alemão numa conferência de imprensa em Berlim, citado pela agência financeira Bloomberg.

António Costa afirmou ainda que há “empresas estrangeiras que apostam e confiam em Portugal” assim como há “empresas alemãs que estão em Portugal e que estão a alargar o seu investimento em Portugal”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

Do lado de dentro da janela

Helena Matos

Tudo resultou em mais gritos Alá é grande”, mais carrinhas descontroladas afinal conduzidas por mão firme, mais lobos solitários que tinham quem os apoiasse. Mas "Nós não temos medo". Claro que temos 

Terrorismo

Basta!

Gonçalo Dorotea Cevada

Que suposta superioridade moral é essa que não nos permite admitir que o problema não está na suposta falta de integração social, mas na propaganda feita por certas mesquitas localizadas na Europa?

Economia

Viva o turismo

João Marques de Almeida

Os “novos aristocratas” acham que têm privilégios especiais. Passam a vida inteira a viajar, mas nunca são turistas. As massas da classe média viajam pouco, mas se o fazem são logo turistas detestados

Terrorismo

Do lado de dentro da janela

Helena Matos

Tudo resultou em mais gritos Alá é grande”, mais carrinhas descontroladas afinal conduzidas por mão firme, mais lobos solitários que tinham quem os apoiasse. Mas "Nós não temos medo". Claro que temos