Autárquicas 2017

Oeiras. Sede de campanha de Joaquim Raposo também foi assaltada

O candidato socialista à Câmara de Oeiras deparou-se, há uma semana, com várias portas arrombadas na sua sede de campanha. Candidatura desconfia que quem lá entrou procurava alguma coisa concreta.

A sede de campanha de Joaquim Raposo, no centro de Oeiras, foi assaltada na madrugada de 1 para 2 de setembro. A informação só foi revelada pela candidatura esta terça-feira, depois de conhecido o ato de vandalismo noutra sede de um outro candidato à Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais.

O assalto à sede de Joaquim Raposo foi comunicado logo no dia 2 à polícia de Porto Salvo, que recolheu provas (impressões digitais) no local, onde havia três portas arrombadas, disse ao Observador fonte da candidatura — uma porta exterior e duas dentro do espaço da sede de campanha.

Foto disponibilizada pela candidatura de Joaquim Raposo

O facto de não ter sido roubado nada e de não existirem danos materiais, além das portas arrombadas e outras que também foram forçadas, leva a que a candidatura do socialista considere que quem entrou indevidamente na sua sede estava à procura de alguma coisa concreta, embora não adiante o que possa ser.

Foto disponibilizada pela candidatura de Joaquim Raposo

Foto disponibilizada pela candidatura de Joaquim Raposo

Na altura do assalto, que ocorreu há mais de uma semana, a PSP informou a candidatura de Joaquim Raposo que nos dias seguintes ia reforçar a vigilância no local onde se situa a sede.

Este é o segundo ato de vandalismo conhecido em poucos dias a sedes de candidatos à Câmara de Oeiras. Esta terça-feira foi noticiado o assalto à sede do candidato independente Isaltino Morais, em Linda-a-Velha, a que se junta agora o assalto à sede do candidato do PS ao mesmo município.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt
Rui Rio

Isto começou mal e vai acabar mal

Rui Ramos

O destino de Rui Rio não é ser oposição ao governo, mas ao próprio PSD. Foi sempre assim quando, no passado, o PSD foi posto na situação em que Rio o colocou, de subordinação ao PS.

Legislação Laboral

Para acabar de vez com o trabalho

Luís Reis

Para as forças partidárias que sustentam o Governo PS o trabalho deve ser violentamente taxado, os horários reduzidos, as férias aumentadas, os feriados prolongados e a legislação laboral fossilizada.

Sistema Financeiro

Justos e pecadores

João Cândido da Silva

Entre os lesados do BES ou do Banif houve pessoas ludibriadas. Mas houve, igualmente, situações em que a imprudência ou a ganância foram a chave que abriu a porta para o desastre.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site