PSD

PSD manifestou-se contra a criação de um exército europeu

172

O presidente do PSD assumiu, em Braga, ser contra a criação de um "exército europeu", salientando, no entanto, a necessidade do "reforço e ampliação" de respostas ao nível da UE na área da Defesa.

HUGO DELGADO/LUSA

O presidente do PSD assumiu quinta-feira à noite, em Braga, ser contra a criação de um “exército europeu”, salientando, no entanto, a necessidade do “reforço e ampliação” de respostas ao nível da União Europeia na área da Defesa.

A participar num jantar debate no âmbito das jornadas do Grupo Parlamentar do Partido Popular Europeu, no qual a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, também esteve presente, Pedro Passos Coelho deu ainda conta do desafio que vai lançar ao Governo para que explicite “quais são as linhas vermelhas” de Portugal na área da defesa europeia.

“Desejamos o reforço e ampliação de respostas na área da Defesa, mas não queremos com este processo criar um exército europeu”, afirmou Pedro Passos Coelho, deixando um aviso a António Costa: “Não damos o aval ao Governo para um processo que venha desembocar neste resultado”.

Lembrando que sexta-feira haverá uma audição na Assembleia da República com o ministro dos Negócios Estrangeiros e com o ministro da Defesa, o líder do PSD disse que quer que o Governo seja claro sobre a orientação que irá ter na área da Defesa europeia.

“Convidaremos o Governo a deixar muito claro quais são as ‘linhas vermelhas’ para Portugal neste processo”, declarou.

Num discurso que focou a importância de uma caminho de cooperação reforçada na área da Segurança e Defesa ao nível da União Europeia, Pedro Passos Coelho avisou que, ainda assim, o PSD não vai “passar um cheque em branco” ao Governo naquela área.

“É preciso transparência neste processo”, referiu.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

Sulistas, populistas e… que mais?

Helena Cristina Coelho

Por um lado, Rui Rio aparece de peito feito a condenar o abominável populismo, que rejeita — por outro, parece cair em tentações populistas, em que cede. O que esperar daqui?

CDS-PP

O grande Gatsby

Miguel Alvim

O depoimento de Adolfo Mesquita Nunes, apesar da manchete mediática que inegavelmente teve, constituiu, sobretudo, uma proposta de promoção pessoal.

Ministério da Saúde

A Venezuela aqui tão perto

Mário Amorim Lopes

O Ministério da Saúde, após banir as malfadadas chamuças e os vis rissóis dos hospitais aponta agora as baterias às farmácias, em particular àquelas que — imagine-se o despautério — praticam descontos

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site