IPSS

Raríssimas. Inspetores da Segurança Social estiveram na Casa dos Marcos

359

Dois inspetores da Segurança Social estiveram naquele que é o maior projeto da Raríssimas -- a Casa dos Marcos, na Moita -- na sequência da denúncia de alegadas irregularidades nas contas.

A Casa dos Marcos é o maior projeto da Raríssimas e está situada na Moita

Dois inspetores da Segurança Social estiveram, esta quarta-feira, naquele que é o maior projeto da Raríssimas — a Casa dos Marcos, na Moita, no distrito de Setúbal. A notícia avançada pelo Observador foi já confirmada pelo dirigente da Raríssimas, Nuno Branco. Esta visita, pouco depois da hora de almoço, decorreu na sequência da reportagem da TVI de sábado que revela alegadas irregularidades na gestão financeira da instituição por parte da agora ex-presidente da Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras, Paula Brito e Costa.

“Estiveram a indicar o tipo de formalidades necessárias”, explicou Nuno Branco, acrescentando que “ainda esta semana” começará a inspeção e que já amanhã, quinta-feira, estará na Casa dos Marcos “uma equipa para conhecer as pessoas que lhe darão as informações necessárias”. O membro da direção da Raríssimas, da delegação do Norte, mas que esteve esta quarta-feira na Moita, disse que “à partida [a inspeção] será feita apenas e só aqui [na Casa dos Marcos] porque é onde estão os serviços administrativos”.

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social já tinha dito, na passada segunda-feira, em conferência de imprensa, que tinha pedido uma inspeção urgente ao funcionamento da Raríssimas, dado o “o justificado alarme” provocado pela divulgação destas alegadas irregularidades. Vieira da Silva explicou que uma equipa da Inspeção Geral da Segurança Social iria avaliar globalmente todas as dimensões da instituição e “retirar daí todas as ilações necessárias”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mcarrico@observador.pt
Presidente Trump

As semelhanças entre Obama e Trump

João Marques de Almeida

A eleição de Trump foi a derrota das elites bem pensantes e do establishment dos media, que prefere escrever para os seus egos e os seus pares em vez de tentar entender o que se está a passar nos EUA.

Vladimir Putin

Síria: não há forma de lavar a hipocrisia 

José Milhazes

Lavrov apoiou a acção turca porque os ataques visam curdos e outras forças sírias apoiadas pelos EUA. Não é difícil imaginar o regozijo reinante no Kremlin face à luta entre parceiros da NATO na Síria

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site