Jacob Zuma, foi hoje empossado como chefe de Estado do país por mais cinco anos, numa cerimónia celebrada na sede do Governo, em Pretória, a que assistiram mais de 40 líderes mundiais.

No poder desde 2009, Zuma tomou posse depois de ter ganho no partido, o Congresso Nacional Africano, nas eleições gerais de 07 de maio, com 62,15% dos votos.

Zuma, que começa hoje oficialmente o seu segundo e último mandato, prometeu, durante o seu discurso de tomada de posse, “fazer tudo o que faça avançar a República e opor-se a tudo o que possa danificá-la”.

O presidente eleito jurou o cargo diante do juiz do Tribunal Constitucional, Mogoeng Mogoeng, depois da leitura do preambulo da Constituição sul-africana, e de três helicópteros do exército nacional terem sobrevoado o espaço mostrando a bandeira do país.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A cerimónia contou com a presença do vice-presidente do Brasil, Michel Temer, com o presidente da Nigéria, Googluck Jonathan, e o presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, que recebeu uma ovação de pé dos que assistiam à tomada de posse no Anfiteatro Nelson Mandela, na sede do governo sul-africano.

Milhares de pessoas acompanharam a cerimónia através de ecrãs gigantes que foram instalados numa das praças contíguas ao palácio do Governo.

Depois de cinco anos marcados por escândalos de corrupção em que se viu implicado, aos 72 anos, Jacob Zuma inicia hoje aquele que será – por imperativo legal – o último mandato, sendo a criação de emprego e o crescimento económico os maiores desafios.