Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

António José Seguro diz que os portugueses e o PS já censuraram o Governo, mas não avança com moção de censura, preferindo votar favoravelmente a moção anunciada ontem pelo PCP. O socialista está à espera que o Presidente da República tome alguma iniciativa após os resultados das eleições europeias.

“Se os principais responsáveis políticos, em concreto, o Presidente da República, não retirarem daqui as suas ilações, isso significa que o nosso sistema político ficará mais bloqueado do que já está e num impasse maior do que aquele que já tem”, disse o secretário-geral do PS na manhã de segunda-feira, em entrevista à TSF, esclarecendo que em vez de avançar com uma moção de censura própria, vai votar favoravelmente a moção anunciada ontem pelo PCP.

“Se há um partido que toma a iniciativa de apresentar uma moção de censura ao Governo, depois do PS já ter censurado este Governo, o PS não pode ser incoerente no seu sentido de voto” aponta o líder do PS. Apesar de votar a favor, Seguro diz que a moção – por ser chumbada pela maioria -é um “frete ao Governo”, prevendo que à semelhança do que aconteceu em julho passado, em plena crise política, transformou a moção de censura d’Os Verdes numa moção de confiança.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR