A cantora Rihanna não consegue dissociar-se de polémicas. Quando ainda o vestido transparente que usou para os CFDA Awards, adornado por 216 mil cristais Swarovski, está nas bocas do mundo, é também notícia a restrição da imagem publicitária do perfume da artista no Reino Unido. O cartaz impresso que promove o aroma Rogue apenas pode ser exibido em zonas que não sejam frequentadas por crianças. A decisão foi tomada pela entidade que regula a publicidade naquele país, Advertising Standards Authority (ASA), que considerou a imagem da cantora do hit musical Umbrella “sexualmente sugestiva”, explica a Times Live.

Não é difícil de perceber o porquê: Rihanna está sentada no chão, de lado, com as pernas levantadas contra um frasco de grandes proporções. Encontra-se praticamente nua, apenas com roupa interior e sapatos de salto alto. Ainda assim, a ASA considerou que está devidamente vestida, o problema é a expressão facial que, em vez de transparecer vulnerabilidade, revela um “ar de desafio”. A empresa responsável pelo perfume, Parlux Fragrances, alegou que recebeu apenas uma queixa e que, sendo Rihanna conhecida pelas músicas provocantes, o anúncio procurou capturar a sua essência sem nudez imprópria ou ofensiva, explica o Guardian.

A nudez artística faz, de certo modo, parte da imagem de marca Rihanna, acostumada a poses sensuais. São muitas as fotografias espalhadas pela internet que revelam as curvas da artista e deixam pouco à imaginação. Não faz muito tempo, a estrela partilhou no Instagram imagens de uma produção fotográfica para a revista de adultos francesa, Lui. As fotografias, tiradas por Mario Sorrenti, revelam, na maior parte das vezes, uma mulher sensual e praticamente despida. No entanto, nudez, nudez parcial ou fotografias sexualmente sugestivas são proibidas na rede social em causa, que fechou, temporariamente, a conta da artista. Nada que impedisse Rihanna de migrar as imagens do Instagram para o Twitter.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda sobre o vestido transparente de cristais, o jornal The Telegraph escreve que o vestido que roubou as atenções de todos nos prémios da moda de segunda-feira à noite, em Nova Iorque, não transmite uma noção de estilo. Para a publicação, a mensagem não passa de uma questão de auto-promoção enquanto objeto sexual ou demonstração de audácia exigida a uma pop star. “Trata-se de fitness e determinação para ter um corpo lindo”. E acrescenta: “O quer que seja, não é estilo”.