Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um engenho explosivo de elevada potência foi desativado durante a madrugada de sábado, depois de ter sido descoberto por agentes de segurança junto à residência oficial de Petro Poroshenko, presidente da Ucrânia. A bomba estava instalada junto a um portão do edifício por onde têm acesso as viaturas presidenciais e era constituída por cinco granadas e por estilhaços de metal, segundo informou uma fonte que recusou ser identificada à Reuters.

A bomba foi descoberta depois de um avião militar ucraniano, que transportava soldados que iam participar na operação antiterrorista que foi desencadeada há dois meses por Kiev contra os separatistas pró-russos, ter sido abatido. No atentado, morreram 49 pessoas.

“A Ucrânia precisa de paz. No entanto, os terroristas terão uma resposta adequada”, lê-se num comunicado emitido por Poroshenko a propósito do abate do avião militar. Para já, relativamente ao que parece ter sido uma tentativa de atentado contra o recém-empossado presidente ucraniano, não houve qualquer reação de Poroshenko.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR