O défice orçamental das administrações públicas caiu para menos de metade em maio de 2014, com a receita com impostos e com contribuições sociais a justificarem a queda de 2,25 mil milhões em abril para pouco mais de mil milhões de euros em maio.

Segundo a Direção Geral do Orçamento (DGO), as administrações públicas continuam com um défice em contabilidade pública (entrada e saída de fluxos de caixa), mas este foi reduzido para 1.008,7 milhões de euros.
Em abril, o défice atingiu 2.249,7 milhões de euros.

A justificar este resultado, diz a DGO, está o comportamento favorável das receitas com impostos – que aumentaram 567,1 milhões de euros face aos primeiros cinco meses do ano passado – e das receitas da Segurança Social com contribuições sociais – que subiu 236,8 milhões de euros no mesmo período.

IRS a subir, IRC a descer

As contas de maio demonstram, também, que só em IRS, o Estado conseguiu encaixar mais 407,1 milhões de euros, num período tipicamente marcado pelo acerto do IRS do ano passado com a entrega das declarações do ano passado. Ainda assim, o aumento verificado face ao ano passado é considerável.

Já nas contas do IRC, a situação é completamente contrária. Nos primeiros cinco meses do ano, o Estado cobrou menos 128.4 milhões de euros em impostos às empresas do que havia feito nos mesmos cinco meses de 2013.