A designação de Jean-Claude Juncker para a presidência da Comissão Europeia marca “um mau dia para a Europa”, afirmou o primeiro-ministro britânico, David Cameron, que se opôs frontalmente à escolha do luxemburguês. “Este é um mau dia para a Europa, que arrisca enfraquecer a posição dos governos nacionais”, disse Cameron depois de o conselho europeu ter aprovado a escolha de Juncker por 26 votos a favor e dois contra (Reino Unido e Hungria). “Se tivéssemos trabalhado juntos, teríamos encontrado um candidato alternativo”, frisou.

Cameron admitiu contudo ter de “aceitar o resultado” da cimeira, embora a decisão tomada por 26 Estados membros nesta matéria “reforce a convicção” britânica de que “a Europa tem de mudar”. Os líderes europeus indigitaram hoje para o cargo de presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker, candidato do Partido Popular Europeu (PPE, centro-direita), que venceu as eleições europeias de maio.

O nome de Juncker tem ainda de ser aprovado pelo Parlamento Europeu, numa votação prevista para 16 de julho em que precisa de obter uma maioria simples (367 votos em 751).