Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma cratera de grandes dimensões foi descoberta na região siberiana de Yamal, na Rússia. Crê-se que o buraco tenha 80 metros de diâmetro mas, para já, desconhece-se a sua profundidade. De acordo com o The Siberian Times, uma equipa de investigação científica foi enviada esta quarta-feira para o local.

A causa mais provável para o aparecimento da cratera é o derretimento de gelo – provocado pelo aquecimento global -, que, misturado com o muito gás e sal existente na região, poderá ter causado uma explosão subterrânea, o que explicaria o facto de as paredes do buraco estarem escurecidas.

https://www.youtube.com/watch?v=2kMs05VaOfE&app=desktop

Por outro lado, estava também a ser considerada a hipótese de se tratar de uma cratera criada pela queda de um meteorito, mas a hipótese foi afastada pelas autoridades locais, que requereram a ida de uma equipa científica à zona. Dessa equipa farão parte especialistas no Ártico e da Academia Russa de Ciências que recolherão amostras do terreno e da água circundante. Serão acompanhados igualmente por um funcionário do Ministério das Situações de Emergência.

A região de Yamal – que em russo significa “o fim do mundo” – é a mais importante zona de produção de gás da Rússia. De acordo com Anna Kurchatova, cientista ouvida pelo jornal siberiano, o derretimento de gelo na Sibéria é “alarmante”, o que poderá trazer riscos futuros, dada a quantidade de gás ali existente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR