A secção regional norte da Ordem dos Médicos (OM) diz que o Serviço Nacional de Saúde está a abrir vagas para serviços que, segundo uma portaria já em vigor, deviam encerrar. A OM pede a revogação do diploma que redefine o mapa hospitalar no país.

Segundo a TSF, a Ordem dos Médicos defende que a portaria que redefine as competências e serviços dos centros hospitalares tem de ser revogada. Se fosse cumprida, significaria uma revolução muito prejudicial para os utentes.
O presidente da seção norte da ordem, José Miguel Guimarães, argumenta, ainda, que a portaria não está a ser cumprida nem sequer por quem tem a responsabilidade de contratar os médicos.

A secção norte da ordem dos médicos denunciou, esta segunda-feira de manhã, um caso que considera grave. Os tempos de espera na área de medicina física e reabilitação no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro chegam a atingir três anos por falta de pessoal.

A OM revelou ainda que pediu à Administração Regional de Saúde que suspenda uma diretiva em que impede os médicos de família de prescrever sistemas de nebulização. A Ordem diz que os tempos de espera nos serviços especializados podem obrigar os doentes a recorrerem a serviços de urgência.