Uma menina de nove anos disparou acidentalmente sobre o seu instrutor quando aprendia a disparar uma metralhadora semiautomática Uzi. O acidente, que resultou na morte do instrutor, de 39 anos, ocorreu num campo de tiro num deserto do Arizona, nos arredores de Las Vegas, debaixo dos olhares dos pais, que filmavam a aula.

De acordo com o Las Vegas Review-Journal, a criança já tinha disparado várias vezes “com sucesso e em segurança” aquela arma de fogo, no modo de “disparo único”, e terá sido quando o instrutor passou para o modo “automático” que perdeu o controlo da arma. A arma recuou e desviou para a esquerda, onde estava o instrutor – a criança ainda disparou algumas vezes com a arma segura nas duas mãos mas terá perdido o controlo quando a metralhadora se ergueu acima do nível da sua cabeça.

Uma Uzi é uma metralhadora desenhada em 1950 para o Exército de Israel. Segundo a BBC, é exportada para muitos países e usada em vários conflitos, sendo capaz de disparar em modo automático e semi-automático e tendo uma taxa normal de disparos de 600 tiros por minuto.

Charles Vacca, de 39 anos, foi atingido “pelo menos uma vez” na cabeça e não resistiu aos ferimentos depois de ter sido transportado para o hospital de Las Vegas.

Os pais, que acompanhavam a criança na aula, filmaram o momento dramático do incidente. O vídeo, discrito como “medonho” por Jim McCabe, xerife do distrito de Mohave, Estado do Arizona, foi editado de forma a não incluir a parte dos disparos finais e divulgado depois para a comunicação social. Segundo o mesmo jornal de Las Vegas, a família, cuja identidade não foi revelada, estaria num passeio de férias, vinda de Nova Jérsia.

Jim McCabe garantiu anda que não serão formalizadas acusações contra a criança ou o campo de tiro, uma vez que a operação é legal e está licenciada.

O caso, no entanto, está a levantar indignação nos EUA pelo facto de o limite de idade para frequentar estes campos de tiro ser tão baixo. Ao Independent, Ronald Scott, especialista em segurança de armas de fogo, afirmou que a maioria dos campos de tiro tem um limite de idade e regras rígidas de segurança quando se trata de ensinar crianças a disparar, e que, geralmente, os instrutores também seguram a arma se se tratar de uma arma de alta potência.

“Não se pode pôr uma Uzi nas mãos de uma criança de nove anos e esperar que ela a controle”, diz Scott.

Segundo se lê no site do campo de tiro Arizona Last Stop, os frequentadores do campo podem ter visitas guiadas que incluem aulas privadas com um instrutor certificado de armas de fogo, geralmente ex-militares, sendo que a idade mínima permitida para estas visitas guiadas é de oito anos. Todos os menores de 18, de resto, devem estar acompanhados por um familiar ou tutor legal durante todo o tempo. A lei do Arizona, de resto, proíbe menores de possuir armas de fogo, a não ser que estejam acompanhados de um familiar ou instrutor.

A notícia do acidente desta manhã surge um mês depois de ter sido publicado um relatório sobre o número de mortes acidentais envolvendo crianças e armas de fogo: cerca de 100 crianças morrem por ano nestas condições acidentais, diz o relatório, citado pelo Independent.

O grupo que está por detrás do relatório, intitulado Moms Demand Action for Gun Sense in America and Everytown (Mães exigem ação para o uso razoável de armas de fogo nos EUA), sublinha que a maioria das mortes podia ter sido evitada preventivamente.