Orçamento Retificativo

Despesas com pessoal aumentam mais de 900 milhões face ao 1º Retificativo

As despesas com pessoal aumentam 938,8 milhões de euros em 2014, uma subida face ao estimado pelo Governo no primeiro Orçamento Retificativo apresentado no início do ano.

Andre Kosters/LUSA

As despesas com pessoal aumentam 938,8 milhões de euros para 12.652,7 milhões de euros em 2014, uma subida face ao estimado pelo Governo no primeiro Orçamento Retificativo apresentado no início do ano.

De acordo com a proposta de Orçamento Retificativo hoje enviada ao Parlamento, a segunda deste ano, as despesas com pessoal sobem 938,8 milhões face ao estimado no primeiro Orçamento Retificativo, que era de 11.713,9 milhões de euros.

Esta revisão em alta reflete “o reforço dos orçamentos setoriais decorrente da alteração da política remuneratória, o reforço dos programas orçamentais do Ensino Básico e Secundário e Administração Escolar e da Justiça e o reforço da verba alocada ao Ministério das Finanças para pagamento de indemnizações no âmbito do Programa de Rescisões por Mútuo Acordo – 114 milhões de euros -, decorrentes do alargamento dos programas de rescisões”.

O aumento da aquisição de bens e serviços é explicado pelo reforço da verba para os contratos-programa estabelecidos com os Hospitais E.P.E., de 93 milhões de euros.

A redução de despesa com juros e outros encargos da dívida direta do Estado, de 128 milhões de euros, é explicada, segundo o executivo, pela “redução generalizada das taxas e, face à decisão de não prolongar a duração do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF) na sequência do acórdão do Tribunal Constitucional de maio, o não recebimento do último desembolso”.

A variação da rubrica de transferências decorre do reforço destinado à Contribuição Financeira para a União Europeia, de 40 milhões de euros, para fazer face aos encargos respeitantes aos orçamentos retificativos de 2014 da União Europeia, bem como o registo da transferência legalmente prevista da contribuição sobre o setor bancário de 2013 e 2014 para o Fundo de Resolução, de 297 milhões de euros, lê-se na proposta.

 

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)