Cinco dos principais executivos de topo da Apple, incluindo o diretor executivo Tim Cook, venderam mais de 143 milhões de dólares em ações da empresa (mais de 112 milhões de euros) numa venda planeada.

Segundo a Business Insider, as 348.425 ações vendidas por Tim Cook renderam mais de 35 milhões de dólares (quase 28 milhões de euros). Cook tem vindo gradualmente a vender a sua percentagem de ações desde 2010, e agora é dono de menos de 1% da empresa. O vice-presidente Phil Schiller também seguiu o exemplo de Cook, com a de  348.846 ações por mais de 35 milhões de dólares (perto de 28 milhões de euros). Os executivos Jeffrey E. Williams e Bruxe D. Sewel arrecadaram mais de 70 milhões de dólares (cerca de 55 milhões de euros) e o diretor financeiro Luca Maestri vendou todas as suas ações diretas, que lhe renderam perto de 2 milhões de dólares (quase 1,6 milhões de euros).

As vendas agendadas aconteceram pouco tempo depois do lançamento dos novos iPhones 6 e iPhone 6 Plus, entre 5 e 22 de setembro, e apenas alguns dias depois da Apple ter ultrapassado o recorde de vendas (10 milhões de unidades no primeiro fim de semana). Este tipo de venda permite à empresa ganhar uma compensação pelas suas ações, ao mesmo tempo que evita que seja acusada de apenas as vender quando é conveniente.

Esta quinta-feira, os problemas registados com a atualização do iOS 8 e os relatos de iPhones dobrados, causaram a queda das ações em 3,5% na bolsa, com cada ação a valer 98,11 dólares (cerca de 77 euros).