Pedro Passos Coelho

Contas da Tecnoforma mantidas em segredo

454

Contas da empresa onde Pedro Passos Coelho trabalhou estão abrangidas pelo segredo comercial e Tecnoforma não autoriza divulgação.

O advogado que representa a Tecnoforma, Cristóvão Carvalho, recusou fornecer os valores pagos à ONG

© Hugo Amaral/Observador

As contas da empresa em que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, trabalhou como consultor continuam fechadas a sete chaves. De acordo com o Ministério Público (MP), que autorizou a consulta dos autos resultantes da investigação, estes documentos estão abrangidos pelo segredo comercial e só podem ser consultados se a empresa, neste caso a Tecnoforma, autorizar. O que não aconteceu.

De acordo com o despacho de autorização de consulta do processo, há dois elementos no inquérito que não podem ser revelados. Um deles está em segredo de justiça e refere-se a factos que estão a ser investigados no processo que foi aberto para investigar toda a atividade da Tecnoforma. O processo nasceu de uma queixa da arquiteta socialista Helena Roseta, que implicava Miguel Relvas e um alegado crime de favorecimento.

Sob segredo comercial estão as contas da sociedade, entregues pela empresa quando o Ministério Público lhe pediu esclarecimentos relativamente a alegados pagamentos feitos a Pedro Passos Coelho, quando ele era deputado à Assembleia da República em regime de exclusividade. As contas podiam mostrar se Passos Coelho recebeu alguma coisa e qual o valor que a Tecnoforma pagava à organização não governamental, o Centro Português de Cooperação criado em 1996.

A queixa, de acordo com o processo consultado pelo Observador, foi feita através de carta anónima na sequência de uma entrevista publicada na revista Sábado – em que um ex-administrador da Tecnoforma apontava Passos Coelho como a peça principal para os negócios fechados pela empresa. A queixa dizia que o agora primeiro-ministro recebia cinco mil euros mensais pela sua atividade. E dava o nome do diretor financeiro que estaria a par do caso, “José Duro”.

A denúncia chegou ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) do MP a 3 de junho. No final desse mês, o procurador responsável pelo processo pediu à Tecnoforma que lhe indicasse quem era “José Duro”. E teve resposta. No final de agosto, e sem qualquer indicação no processo sobre um possível contacto com José Duro, os investigadores pediram a confiança dos documentos que davam conta das contas da empresa, ou seja, queriam vê-las, fotocopiá-las e juntá-las ao processo.

Inquérito resolvido em 24 horas

A Tecnoforma, através do seu gabinete de recursos humanos, enviou a 9 de setembro os Livros Selados: “Diário Razão Balancete” e “Inventário Balanço” relativos a dez anos (entre 1994 e 2004). No dia 24, Passos Coelho pediu à Procuradoria que investigasse se cometeu alguma ilegalidade, socorrendo-se do artigo da lei sobre as “pessoas publicamente postas em causa” e do seu direito à honra. O MP extraiu certidão do inquérito principal nesse mesmo dia. E, em apenas um dia, arquivou.

Os argumentos, tal como o Observador noticiou, foram que os factos que podiam constituir um crime de fraude fiscal, a terem acontecido, estão prescritos desde 2007 (cinco anos depois da obrigação de declarar esses rendimentos). No despacho, no entanto, o MP sustenta que os documentos apresentados pela Tecnoforma nunca seriam suficientes para concluir se havia crime ou não. Só seria possível se estes fossem cruzados com contas bancárias da empresa e do governante. Mas nada disto foi feito.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ssimoes@observador.pt
Aníbal Cavaco Silva

Indispensável /premium

Maria João Avillez
268

Fica-se a conhecer a singularíssima relação que houve entre dois políticos, não quaisquer, Cavaco e Passos, e a aliança que teceram e nunca romperam. A visão é ampla e polifónica, goste-se ou não dela

Governo

Pode alguém pedir que se aja com escrúpulos?

Rita Fontoura

A falta de escrúpulos está a destruir o nosso país. Fomos enganados e estamos a ser enganados. É algo que não salta à vista e por isso engana, o que não espanta já que quem nos governa teve bom mestre

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)