O filme “Relatos Salvajes”, do argentino Damián Szifrón, foi o escolhido para a abertura da Mostra de Cinema da América Latina, que regressa a Lisboa entre 10 e 14 de dezembro e chega pela primeira vez ao Porto, entre 30 de janeiro e 1 de fevereiro de 2015.

“Relatos Salvajes” é o candidato argentino ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, mas pode não chegar à passadeira vermelha. Os nomeados finais só vão ser anunciados a 16 de janeiro. Mas a longa-metragem, com interpretação de Ricardo Darín, (“El Secreto de sus Ojos”), e música de Gustavo Santaolalla, já é uma das mais vistas de sempre na Argentina. Foi um dos filmes concorrentes deste ano à Palma de Ouro de Cannes.

Para conhecer o programa completo da Mostra de Cinema da América Latina vai ser preciso esperar até dia 24 de novembro. Mas a organização, a cargo do IndieLisboa e da Casa da América Latina, já anunciou que vai homenagear o documentarista brasileiro Eduardo Coutinho, falecido este ano após ter sido esfaqueado em casa. Dele vão ser exibidos de três filmes: “Edifício Master”, “Jogo de Cena” e “As Canções”.

Para além da retrospetiva a Eduardo Coutinho, a 5.ª edição da mostra tem mais duas secções, Horizontes e Novos Caminhos. Se a secção Novos Caminhos se dirige ao público mais jovem, em idade escolar, na secção Horizontes cabem “vários dos exemplos mais interessantes da produção cinematográfica contemporânea dos países latino-americanos”, escreve a organização.

Em janeiro de 2015, a Mostra de Cinema da América Latina estreia-se na Casa das Artes, no Porto. Com ela seguem na bagagem alguns dos melhores filmes latino-americanos.