Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Conselho de Administração, o Conselho Geral Independente e o ministro Miguel apoiares Maduro vão ser ouvidos na Assembleia da República a pedido do Bloco de Esquerda sobre a polémica em torno da demissão do administração da RTP.

O pedido de audição foi aprovado por unanimidade. Para já ainda não há datas sobre a ida dos responsáveis do canal público à Assembleia da República, há apenas para o ministro, que já tinha agendada uma audição regimental para o dia 17 deste mês.

Na reunião da comissão de Ética, está sexta-feira de manhã, onde o assunto foi discutido, a deputada do BE, Cecília Honório, justificou o pedido com a “turbulência” em torno da RTP e da necessidade de esclarecimentos.

O pedido foi acompanhado por todos os grupos parlamentares, que disserem isso mesmo na reunião o deputado do PCP, João Ramos, acrescentou apenas que os comunistas sempre colocaram “as maiores dúvidas na constituição do Conselho Geral Independente e agora à primeira dificuldade, dá-nos razão”.

As audições foram aprovadas depois de ontem a Entidade Reguladora para a Comunicação ter dado razão ao Conselho de Administração na polémica sobre se a administração tinha de dar conhecimento prévio ao Conselho Geral Independente da compra dos direitos de transmissão dos jogos da Liga da Campeões.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR