Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O homem que matou dois polícias em Nova Iorque este sábado terá feito ameaças nas redes sociais de que iria matar polícias, tinha baleado e ferido gravemente uma mulher que se acredita ser uma ex-namorada e tinha um longo cadastro.

A polícia identificou o homem como sendo Ismaaiyl Brinsley, que era residente de Union City, nos subúrbios da cidade de Atlanta, no Estado da Georgia. O homem que matou os dois polícias, no que parece ter sido uma autêntica execução, teria chegado a Nova Iorque proveniente de Baltimore.

Segundo a CNN, a polícia não acredita que o homem tenha qualquer ligação a grupos ou entidades organizadas relacionadas com terrorismo.

No entanto, e as autoridades já estão a investigar, Ismaaiyl Brinsley terá feito várias ameaças a polícias nas redes sociais. As publicações alegadamente incluem ameaças na rede social Instagram, onde surge com uma arma, afirmando que mataria polícias em resposta à morte do jovem Michael Brown na cidade de Ferguson e de Eric Garner, as duas às mãos da polícia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nessa publicação, em que alegadamente aparece armado, o atacante (que morreu pouco depois de matar os dois polícias, aparentemente com uma ferida provocada por um disparo autoinfligido) diz também que essa poderia ser a última mensagem.

A polícia de Nova Iorque disse ainda que o homem terá baleado e ferido gravemente a sua ex-namorada em Baltimore, antes de viajar para Nova Iorque.

Para além deste incidente, a polícia garantiu que Ismaaiyl Brinsley já tinha um longo cadastro mas que envolvia principalmente crimes menores como furto e posse ilegal de armas. Brinsley também chegou a ser acusado de danos materiais numa propriedade e de obstrução à ação de um polícia.

A polícia de Baltimore recebeu a informação que o homem tinha feito essas ameaças, e transmitiu-a à polícia de Nova Iorque.