O selecionador de futebol do Irão, o português Carlos Queiroz, afirmou hoje que as sanções internacionais impostas ao país estão a prejudicar o seu trabalho de construir uma equipa.

Depois da vitória por 2-0 frente Bahrein, no jogo de estreia da Taça da Ásia, que decorre na Austrália, Carlos Queiroz considerou ser errado que os jovens jogadores sejam vítimas da politica “Tem sido muito difícil” disse o técnico português em declarações à AFP, acrescentando: “Sofremos muito para preparar os encontros particulares e para conseguirmos fazer viagens para fora do país. Os jogadores são vítimas das sanções e a situação tem piorado desde o Mundial”.

Carlos Queiroz acusou ainda FIFA e a Confederação Asiática de Futebol de não terem libertado a verba de oito milhões de dólares (cerca de 6,7 milhões de euros) pela presença da seleção no Mundial2014, no Brasil. O treinador português lamentou o facto de só ter conseguido disputar dois encontros particulares antes da Taça da Ásia e agradeceu aos adversários — a Coreia do Sul e o Iraque — o facto de terem pagado as suas despesas.

O Irão enfrenta sanções económicas desde 2002 devido ao seu controverso programa nuclear.